A distinção bizarra do fotografismo de Michel Valentino

Educado no início dos anos 90 em edição de imagens digitais, o trabalho fotografista do norte americano (NY) Michel Valentino chama a atenção a até mesmo choca os mais sensíveis para a questão das fortes situações e/ou intenções contidas nos mesmos.

De aspecto dark, tons fúnebres e em alguns casos fetichista e até mesmo sadomasoquista, suas fotografias transpõem a barreira do ordinário, inserindo-se num padrão por vezes apelativo e instigante. Até então tudo em harmonia com um contexto indiretamente relacionado com projeções mórbidas e pertinentes a questões relativamente eróticas.

Mensagens indiretas completam o quadro como um todo proposto por Valentino, que através de muita audácia e criatividade reproduz situações meticulosamente ensaiadas por modelos mais dispostos, dada toda a genialidade intrínseca contida no foto ensaio aqui orgulhosamente em destaque.

Portfólio: michelvalentino.com

Portfólio: michelvalentino.com

Livros - Submarino.com.br

5 Respostas to “A distinção bizarra do fotografismo de Michel Valentino”

  1. uou! Isso me lembrou (e deve ter sido inspirado por) Hellhaiser do Clive Barker.

    eu devia ter olhado esse post só amanhã de manhã… se eu sonhar com Cenobitas, a culpa é toda do Bronx! 😛

    • hahahahaahhah olha você errada, aproveitando-se do seu papel de autora para contemplar posts antes das suas publicações é?!?!? hahaha

      mas aew, que arte é esse desse maluco??!?? muito imoral, digamos assim (…)
      se sonhar com algo, depois me conte o sonho, ok?!

      bjo

      • Já te falei q não consigo ver… alias, eu fico numa situação pior que a do visitante “normal” (onde eu sou anormal) que é ver o título, a categoria, as tags mas ter que esperar entrar no ar pra ler! Dramático.
        É que eu sou insone mesmo, então meia noite e 1 segundo é começo da noite pra mim!

        Não sonhei, que eu me lembre, com cenobitas sádicos jurando que eu era masoquista ou coisa do gênero não, mas como não foi das noites mais tranquilas, vai ver sonhei sim e só não me lembro! 🙂

        Quanto ao artista, é extremamente chocante sadô-masô o que por um lado é super incômodo de olhar, mas por outro, é inquietante, o que é, suponho (se não for só chocar por chocar) a intenção do cara e uma das funções básicas da arte, inquietar. Podia ser um inquietar no bom sentido, mas ainda é inquietar então função realizada e não se fala mais nisso…

        • admito que se a proposta dele é chocar com situações adversas ao ordinário, ele a conseguiu alcançar em plenitute e até mesmo talento, dada toda a intenção alcançada de modo a despertar nos observadores sentimentos específicos de repulsa ou agrado, entede?!

          mas no final das contas não deixa de ser arte, por vezes específica de ãpreciação a um certo público alvo, mas ainda sim na esfera da arte.
          bjo

  2. […] # A distinção bizarra do fotografismo de Michel Valentino no Espaço Imoral (blog de arte), post do Bronx em 24/6/10 # Dos atestados de insanidade… no Tudo e Nada (blog geral) em 23/6/10 # O povo pergunta, a gente responde (17) no Indo devagar (blog sobre a tireóide) em 22/06/10 -21.870153 -45.317423 […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s