Arquivo para tragédia

Do Sangue ao Humor, os Coloridos Cartoons de Alex Pardee

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 02/05/2012 by Bronx1985

Natural de Antioch, California (EUA), Alex Pardee é o típico cartunista contemporâneo que sabe como poucos misturar de modo inteligente e pertinente o humor (ainda que negro!) e o sangue. Suas composições são uma mistura interessante de retratos do homem dos dias de hoje combinados com sarcásticas pitadas de tragédias pronunciadas.

Através do uso de cores explicitamente vivas e um traço peculiarmente “comic”, o norte americano apresenta-nos ilustrações recheadas de mensagens subliminares, estas muitas vezes até mesmo não recomendadas para menores ou pessoas sensíveis a temática em questão proposta.

Com um interessante e ensanguentado portfólio on-line disponível para apreciação, Alex Pardee possui em sua carta de clientes marcas de renome e prestígio junto ao mercado, dentre as quais destaco aqui a Hurley International, Twenty Twenty Skateboards, Bay Area Rapper, TopR, Upper Playground, Street Drum Corps, Aiden e Kid Robot, prova de que por mais polêmicas que as ilustrações do cara possam ser, as mesmas chamam a atenção e são objeto de desejo por parte da mídia.

Portfólio: eyesuckink.com

Portfólio: eyesuckink.com

Onipotência, Memória e Passado, As Incríveis Esculturas em Miniatura de Thomas Doyle

Posted in ESCULTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 10/10/2011 by Bronx1985

Minadas nos escombros das memórias do ser humano e esculpidas em escalas que vão de 1 : 43 a menores, as incríveis esculturas do artista plástico norte americano Thomas Doyle são riquíssimas em detalhes e tão muito por isto sensibilizam até aos menos desavisados e desinteressados em Artes Visuais.

Compostas inteligentemente pelos mais diferenciados tipos de materiais, como madeiras, plásticos, bonecos infantis de brinquedo e inúmeros outras coisas, as esculturas em miniatura de Doyle evocam e confrontam sentimentos como o de onipotência, além de possuírem a capacidade visceral de recuperarem a memória daqueles que um dia já se encontraram nas situações criadas em suas composições miniaturizadas.

Momentos frágeis e possíveis sentimentos despertados de desespero e fragilidade a parte, as obras do norte americano são possíveis de serem encontradas nos mais distintos centros de exposição dos EUA, visto que as mesmas, assim com o próprio artista nova iorquino encontram-se em constante exposição em galerias que vão da costa leste a oeste.

Portfólio: thomasdoyle.net

Portfólio: thomasdoyle.net

24 anos da tragédia nuclear em Chernobyl

Posted in VARIEDADES with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 26/04/2010 by Bronx1985

Hoje completam-se 24 anos da tragédia nuclear ocorrida na cidade de Chernobyl.

Chernobyl (em ucraniano Чорнобиль) é uma cidade ao norte da Ucrânia, perto da fronteira com a Bielorrússia. O nome da localidade significa “grama negra”. Em meados da década de 70, foi construída pela União Soviética uma central nuclear a vinte quilômetros da cidade de Chernobyl.

Ironicamente, o acidente se deu durante o teste de um mecanismo de segurança que garantiria a produção de energia em caso de acidentes. A explosão ocorreu quando o sistema era testado em um dos blocos da usina, devido à instabilidade do reator provocada por uma combinação de erros humanos na sua operação e sua construção estar incompleta à época.

No início da madrugada do dia 26, aproveitando um desligamento de rotina, procederam-se à realização de alguns testes para observar o funcionamento do reator a baixa energia. Os técnicos encarregados desses testes não seguiram as normas de segurança e pelo fato do moderador de nêutrons ser à base de grafite (limitado), o reator poderia apresentar instabilidade num curto período de tempo, o que acabou por acontecer.

Explode o reator. As pessoas foram alertadas 30 horas depois do acidente, até então, tudo havia sido mantido em segredo, uma imensa nuvem radioativa se espalhava contaminando pessoas, animais e o meio ambiente de uma vasta extensão da Europa, chegando até mesmo serem identificados níveis de radiação nos Estados Unidos.

Após, uma espécie de “caixão” de betão, aço e chumbo foi construído sobre o reator que explodiu a fim de isolar o material radioativo que ali se concentra. O combustível nuclear chega a 200 toneladas do núcleo do reator e uma espécie de magma radioativo. O acidente fez com que fosse questionado o uso da energia nuclear. Em alguns países reduziram-se e outros quase extinguiram os seus projetos.

Apenas 5 trabalhadores da usina sobreviveram ao acidente, sendo que alguns estão vivos até hoje (data do post!). O acidente de Chernobyl teve 100 vezes mais radiação do que a bomba atômica de Hiroshima no Japão, após a Segunda Guerra Mundial ainda em detrimento aos países do Eixo (SS).

O foto ensaio abaixo apresentado fora clicado em 2010 pelo fotógrafo russo Aleksey Yaroshevsky, afiliado agência RT Photo que mostra-nos uma Chernobyl ainda colhendo os frutos do acidente nuclear; trajes específicos anti radiação foram necessários para a excursão do fotógrafo, à 24 anos toda a região encontra-se abandonada, dados os níveis de radiação que ainda apresentam-se em toda area e que impedirão sua reabitação por um bom tempo.

Mais sobre o assunto em:

wikipédia.org/chernobyl –   brasilescola.com.br/chernobyl

Perfil comercial Aleksey Yaroshevsky

Mais sobre o assunto em:

wikipédia.org/chernobyl –   brasilescola.com.br/chernobyl

Perfil comercial Aleksey Yaroshevsky

Livros com Frete Grátis nas compras acima de R$ 39! - Submarino.com.br