Arquivo para SP

Pontilhismo Perfeição, a Incrível Técnica de Tattoo Gregório Romero Marangoni

Posted in PINTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 15/01/2013 by Bronx1985

Parlor brasileiro residente em São Paulo, Gregorio Romero Marangoni é um dos mais conceituados e brilhantes artistas quando o assunto em questão é a pintura corporal definitiva. Sua incrível técnica de pontilhismo alcança níveis de representatividade somente obtidos por aqueles que realmente sabem o que estão fazendo e possuem de fato o dom para isto.

Explicitamente inspirado por artistas como M.C. Escher e Salvador Dali, as composições do brasileiro destacam-se no mundo das tatuagens justamente pela peculiar presença de detalhes agregados a pertinente junção de pontos (pontilhismo) que o mesmo eleva a níveis de perfeição, visto que o tatuador apenas começou a exercer sua profissão atual em meados de 2010.

Com um tão diferenciado quanto magnífico portfólio on-line disponível para apreciação em site oficial, fato é que àquele que deseja um trabalho do brasileiro em sua pele, deve, no mínimo, entrar em uma fila de espera que chega a demorar mais de 6 meses, além do fato de muitas vezes acabar tendo que arcar com grandes cifras em dinheiro, dado o prestígio que o cara possui junto a crítica especializada.

Portfólio: gregoriomarangoni.com

Gregorio Romero Marangoni Tattoo Artwork

Gregorio Romero Marangoni Tattoo Artwork

Gregorio Romero Marangoni Tattoo Artwork

Gregorio Romero Marangoni Tattoo Artwork

Gregorio Romero Marangoni Tattoo Artwork

Gregorio Romero Marangoni Tattoo Artwork

Gregorio Romero Marangoni Tattoo Artwork

Gregorio Romero Marangoni Tattoo Artwork

Gregorio Romero Marangoni Tattoo Artwork

Gregorio Romero Marangoni Tattoo Artwork

Gregorio Romero Marangoni Tattoo Artwork

Gregorio Romero Marangoni Tattoo Artwork

Portfólio: gregoriomarangoni.com

A Relevância no Imaginário dos Retratos de Lucas Chimello Simões

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 17/11/2010 by Bronx1985

Brasileiro natural de São Paulo, o artista plástico Lucas Chimello Simões tem dado o que falar no cenário da arte contemporânea tanto nacional quanto internacional. Seus retratos feitos de fotografias recortadas inseridas em moldes de acrílico remetem ao que há de mais surreal, relativo e, por assim dizer, harmonioso em questões de parâmetros de vanguardismo contemporâneo.

Através de interessantes intenções de representatividade do ser humano, Lucas compõe aquilo que pode ser considerado uma das suas obras primas, estas dotadas de perspicaz e explícita intenção em despertar nos observadores mais dispostos sentimos como o da curiosidade e dúvida sobre o que aquilo de fato se trata.

Questões a parte, a arte do brasileiro é, sem sombra de dúvidas, um interessante prospecto que caminha e dialoga com o bizarro e tudo aquilo que é inerente  à personalidade humana.

Portfólio: flickr.com/lucsa

Portfólio: flickr.com/lucsa

Aerosmith @ Parque Antártica – SP, 2010

Posted in VIDEOBLOG with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 30/05/2010 by Bronx1985

São Paulo, 29 de maio de 2010, por volta das 21h35, uma enorme bandeira com o logo do Aerosmith cobriu a visão do palco arrancando gritos do público. Com as luzes já apagadas, era possível ver a silhueta magra de Steven Tyler assumindo sua posição. Logo de cara, o quinteto já gastou Eat the Rich, do disco Get a Grip, de 1993. Embora muitos rumores tenham colocado o futuro da banda xeque, principalmente após as notícias de que o grupo sairia em turnê sem Steven Tyler, o vocalista e o guitarrista Joe Perry parecem ter colocado as diferenças de lado ou enganam bem. A famosa dupla divide o microfone sempre que pode e interage a todo o momento como um ritual vivido nestes 40 anos juntos.

Em uma sequência infalível, são tocados os sucessos: Love in a Elevator, Pink, Jaded, Falling in Love, Dream On e Livin on the Edge. A série de hits dá um panorama nestes 40 anos do Aerosmith, prova de que a banda emplacou sucessos em todos os seus lançamentos.

Os atritos entre Tyler e Perry que encheram a mídia também ficam para trás durante o show. Ao ver uma calcinha vermelha jogada no palco, o vocalista não pensou duas vezes. O americano pegou o souvenir e pendurou no microfone do companheiro: “Me ajude a cantar a próxima, Perry”, brincou.

Depois de duas horas de apresentação, o Aerosmith reviveu a maior parte dos clássicos de sua carreira e espantou o frio de seus fãs que lotaram o Palestra Itália. Sobre o futuro da banda, que completa 40 anos depois de um ano instável, o assunto não parece evidente enquanto os cinco dividem o palco.

Site oficial: aerosmith.com Resenha original: terra.com.br/musica

Site oficial: aerosmith.com Resenha original: terra.com.br/musica

Livros com Frete Grátis nas compras acima de R$ 39! - Submarino.com.br

Manowar @ Credicard Hall, SP – 2010

Posted in VIDEOBLOG with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 10/05/2010 by Bronx1985

Além da tradicional maré de camisetas pretas que invadiu o Credicard Hall, em São Paulo, nesta sexta-feira (7/05), a noite regada de metal do Manowar ganhou alguns extras para empolgar o público, cerca de 6,3 mil. Fora os intermináveis banhos de cerveja, air guitars e chicoteadas com os cabelos dos headbangers, o grupo ainda levou ao palco um grupo de quatro garotas que se despiram para o deleite dos fãs e um sortudo que tocou guitarra junto com a banda.

Abrindo com Hand of Doom, o quarteto não fez cerimônia e já atacou com uma sequência de canções pesadas: Call To Arms e Die With Honor. Em um intervalo mais “místico”, Swords In The Wind fez uma pausa para todos os metaleiros erguerem seus celuares e cantarem em uníssono com Eric Adams.

a banda seguiu apostando em suas canções metaleiras, mas sempre priorizando canções da atual turnê, baseada nos discos God of War, de 2007, e no EP Thunder In The Sky, de 2009. A ausência de alguns clássicos como Battle Hymn, Blow Your Speakers e Carry On deixou nitidamente alguns fãs fervorosos exaltados que deixaram o show mais cedo. Mas nada que atrapalhasse o show.

De Gods of War, o grupo tocou canções como King of Kings, Loki God of Fire e Sons of Odin. A escolha por priorizar músicas novas causou até uma movimentação em redes sociais e blogs na internet. Muitos fãs criticaram a opção do Manowar e chegaram a desencorajar os seguidores que planejam conferir os shows do Rio de Janeiro (8/05) e Belo Horizonte (9/05). Cada um na sua.

Site Oficial: manowar.com

Resenha origianl: terra.com.br/musica

Site Oficial: manowar.com

Resenha origianl: terra.com.br/musica

Livros - Submarino.com.br

Dream Theater @ Credicard Hall – SP, 2010

Posted in VIDEOBLOG with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 21/03/2010 by Bronx1985

Quem presenciou o show do Dream Theater, em 2008, na turnê “Chaos In Motion”, apresentada em São Paulo, no estacionamento do Credicard Hall, se decepcionou com o palco singelo da noite de ontem, 19, na mesma casa de show. Enquanto a turnê do disco “Systematic Chaos” (2007) trazia elementos temáticos do álbum como semáforos, formigas gigantes e vários telões, o show de ontem trouxe ao palco apenas um telão de fundo e um pano representando as “nuvens negras” do novo álbum, “Black Clouds & Silver Linings” (2009).

O palco pode ter decepcionado, mas o Dream Theater continua sendo a banda de heavy metal progressivo mais representativa da atualidade. A prova disso começou às 22h30 de ontem, na introdução do show com “A Nightmare To Remember” e na seqüência com a arrebatadora “A Rite Of Passage”, single do novo disco. O grupo surgiu no palco atrás de uma cortina preta onde apenas as silhuetas dos músicos eram identificáveis.

Com 5 minutos, “Wither”, a menor música do novo disco, entra no repertório para, em seguida, emendar o que poderia ser o famoso “instrumedley” do grupo, mas é a “Dance Of Eternity” que é tocada até o fim com Mike Portnoy fazendo careta para as câmeras e enfiando a baqueta no nariz.

A surpresa da noite ficou por conta da canção “One Last Time”, faixa raramente tocada nas turnês do grupo. “The Spirit Carries On” é a próxima do set, com Portnoy acendendo um isqueiro e levantando para o público. Com “Dance Of Eternity”, “One Last Time” e “The Spirit Carries On”, o Dream Theater apresentou, consecutivamente, as faixas 9,10 e 11 do fabuloso disco “Metropolis, Pt. 2: Scenes From a Memory” (1999).

“The Count Of Tuscany” encerra a noite perfeita com o baterista Mike Portnoy, que já recebeu 23 prêmios da revista “Modern Drummer”, vestindo a camiseta da seleção brasileira e aplaudindo insistentemente a presença do público. “É incrível estar aqui de novo com vocês. Nós nos divertimos muito essa noite”, berra Labrie e Petrucci arremessa um aviãozinho de papel contendo o set list. “Black Clouds & Silver Linings” é o terceiro álbum consecutivo que o Dream Theater divulga no país. O Brasil já é rota obrigatória das turnês do grupo.

Site Oficial: dreamtheater.net 

Fã Clube Oficial: dreamtheater.com.br

Resenha original: whiplash.net/dreamtheater

Site Oficial: dreamtheater.net 

Fã Clube Oficial: dreamtheater.com.br

Resenha original: whiplash.net/dreamtheater