Arquivo para Rio de Janeiro

O Humor Insólito nas Fotografias de Isolde Woudstra

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 02/06/2011 by Bronx1985

Insólito por se tratar de um tipo incomum de humor, representado pelo inusitado que naturalmente se confunde com o bizarro, assim são as fotografias da holandesa Isolde Woudstra.

Num mix interessante de cores, ângulos ensaiados e modelos pré-selecionados, Woudstra dá vazão a sua fértil e cômica personalidade através de fotografias tão sinceras quanto alegres, que despertam nos observadores a curiosidade e uma fácil assimilação tratando-se de questões estéticas.

Com exposições recorrentes em seu país de origem. Isolde Woudstra e suas fotografias desembarcaram pela 1ª vez na América Latina agora em 2011 para uma inédita exposição na Mostra Nova Cultura Contemporânea, Rio de Janeiro. Sucesso de críticas, a holandesa caiu no gosto do popular brasileiro, este que recebeu seus foto ensaios com um bom humor tão explícito quanto inerente à própria obra da fotógrafa.

Portfólio: isoldewoudstra.com

Portfólio: isoldewoudstra.com

Ricardo Newton e o Realismo Antropológico

Posted in PINTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 02/08/2010 by Adriana Almeida

O professor de Desenho e Pintura da Escola de Belas Artes da UFRJ, Ricardo Newton, é nascido e criado no Rio de Janeiro, e pinta o cotidiano, a urbanidade, o Rio de Janeiro. Com uma estética realista mas que não se fecha em si mesma, sua obra parece estar cheia de reticências, como quem conta a primeira frase da história e espera o interlocutor a completar. Trabalhando normalmente com óleo sobre tela, Ricardo Newton já realizou várias exposições individuais e participou de inúmeras coletivas.

Em sua obra, homem e meio ambiente – e um meio ambiente que é urbano e contemporâneo – dialogam, trocam idéias e se completam formando cenas a primeira vista banais e corriqueiras, mas cheias de significados em si mesmas, que extrapolam a tela. Ricardo nos obriga a olhar o óbvio e repensá-lo, completando as lacunas da compreensão. Trata-se de um realismo antropológico, que para além de retratar o cotidiano, o estuda, esmiuça, procura por novos ângulos de observação da realidade.

Muitas de suas obras, ao invés de cenas, são recortes, lembrando uma pop-arte sem cores chapadas. Ao contrário: suas cores são tropicais, iluminadas, abertas, realistas. Sua obra nos convida a imaginar, quem é esse que beija sob a chuva, que dá as mãos na mesa do bar, que caminha solitário sob a noite carioca. E ao imaginar suas histórias, elas se confundem com as nossas, e nos vemos retratados em nossas idiossincrasias cotidianas…

Portfólio: ricardonewton.com

Portfólio: ricardonewton.com

Livros com Frete Grátis nas compras acima de R$ 39! - Submarino.com.br

Manowar @ Credicard Hall, SP – 2010

Posted in VIDEOBLOG with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 10/05/2010 by Bronx1985

Além da tradicional maré de camisetas pretas que invadiu o Credicard Hall, em São Paulo, nesta sexta-feira (7/05), a noite regada de metal do Manowar ganhou alguns extras para empolgar o público, cerca de 6,3 mil. Fora os intermináveis banhos de cerveja, air guitars e chicoteadas com os cabelos dos headbangers, o grupo ainda levou ao palco um grupo de quatro garotas que se despiram para o deleite dos fãs e um sortudo que tocou guitarra junto com a banda.

Abrindo com Hand of Doom, o quarteto não fez cerimônia e já atacou com uma sequência de canções pesadas: Call To Arms e Die With Honor. Em um intervalo mais “místico”, Swords In The Wind fez uma pausa para todos os metaleiros erguerem seus celuares e cantarem em uníssono com Eric Adams.

a banda seguiu apostando em suas canções metaleiras, mas sempre priorizando canções da atual turnê, baseada nos discos God of War, de 2007, e no EP Thunder In The Sky, de 2009. A ausência de alguns clássicos como Battle Hymn, Blow Your Speakers e Carry On deixou nitidamente alguns fãs fervorosos exaltados que deixaram o show mais cedo. Mas nada que atrapalhasse o show.

De Gods of War, o grupo tocou canções como King of Kings, Loki God of Fire e Sons of Odin. A escolha por priorizar músicas novas causou até uma movimentação em redes sociais e blogs na internet. Muitos fãs criticaram a opção do Manowar e chegaram a desencorajar os seguidores que planejam conferir os shows do Rio de Janeiro (8/05) e Belo Horizonte (9/05). Cada um na sua.

Site Oficial: manowar.com

Resenha origianl: terra.com.br/musica

Site Oficial: manowar.com

Resenha origianl: terra.com.br/musica

Livros - Submarino.com.br