Arquivo para releitura

Do Óbvio a Releitura do Inimaginável, Become Someone Else por Love Agency

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 19/04/2011 by Bronx1985

Idealizado pelo estúdio de marketing Love Agency, com sede na Lituânia, a foto ensaio “Become Someone Else” é o que podemos caracterizar como uma criativa idéia reformulada de algo já comumente empregado no mundo da comunicação visual contemporânea, que é a sobreposição de imagens impressas em corpos de modelos vivos.

Através de uma técnica básica de fotografismo sob perspectiva devidamente montada e ensaiada, se obtém a curiosa sensação de que o objeto (o livro em questão) realmente de fato complementa o esboço da face perdida do modelo, além de todas as questões cômicas e literárias envoltas ao foto ensaio.

Realizado a pedido da Mint Vinetu Bookstore, uma livraria também com sede na Lituânia, “Become Someone Else” é a típica releitura do óbvio que, dada a sua esplêndida idealização e fiel concretização por parte da equipe da Love Agency, acaba por chamar a atenção pelo movimento simplista e facilidade alcance e mobilização do público alvo ao qual ela se destina.

Portfólio: loveagency.lt

Portfólio: loveagency.lt

Do Clássico ao Bizarro, A Desconstrução Estética de Chad Wys

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 16/04/2011 by Bronx1985

Norte americano nascido e residente em Illinois, EUA, Chad Wys é o típico artista plástico contemporâneo que com sua expressiva arte expõe a estética aos seus limites de experiência e interação. Com um portfólio tão vasto quanto pluralista, Wys dá vazão aos mais confusos e pertinentes sentimentos e reflexões em arte.

Com bases no clássico moderno, o norte americano, através de uma perspicaz técnica de desconstrução do óbvio, vai aos poucos dando nova roupagem a todas as questões estéticas e representativas do proposto. Criando desta forma um inusitado e, por vezes, bizarro olhar crítico nesta que pode ser considerada uma nova vertente em arte contemporânea.

Seguem palavras do próprio artista acerca das suas realizações: “_ Costumo explorar a idéia de objecthood: como nós decoramos nossas vidas como arbitrárias, bem como significativas, as coisas, como objetivamos aqueles que amamos e os estrangeiros que vemos, como objetivamos a dor e a morte; como objetivamos complexos e sensíveis histórias culturais.”

Portfólio: chadwys.com

Portfólio: chadwys.com

Os Monstros Contemporâneos de Jérôme Meynen

Posted in PINTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 15/12/2010 by Adriana Almeida

O belga Jérôme Meynen desenha à nanquim e eventualmente usa o recurso da colagem para pequenos detalhes em sua obra. Pontos, linhas, pontilhados, áreas preenchidas e áreas em branco. Quase todo mundo que já tentou aprender a desenhar passou pelo martírio ou divertimento (vai da índole de cada um…) do trabalho com nanquim quando tudo é expresso em duas únicas cores: o preto e a ausência dele. Portanto, não há nada de novo na técnica de Jérôme. O que impressiona é a riqueza de detalhes e de simbolismos. A maior parte de suas peças é composta de um somatório de cenas interligadas onde cada pequeno pedaço conta uma história por si só, e o todo se torna maior que a soma das partes.

Jérôme já participou de diversas exposições em grupo ou individuais, a maioria na Bélgica, mas seu trabalho já pode ser visto também na Espanha, Estados Unidos e França. Em sua obra, temos uma releitura dos nossos monstros interiores, trazidos à luz do contemporâneo, interligados em cenas complexas como complexos somos nós e tudo isso em obras tão cheias de detalhes que revelam o talento e o comprometimento de seu autor. Sem dúvida, um portfólio a ser conferido e um nome a se ficar de olho.

Portfólio: hellomonsters.wordpress.com

Portfólio: hellomonsters.wordpress.com

Os Curiosos Troféus Domésticos de Rachel Denny

Posted in ESCULTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 30/11/2010 by Adriana Almeida

Madeira, lã, restos de tecido, resina, gesso e outros objetos encontrados ao acaso misturados a muita criatividade e surge a série “Troféus Domésticos” (“Domestic Trophies”) da americana Rachel Denny, que já expôs em diversas exibições (em grupo ou solo) e ganhou prêmios por seu trabalho.

Inspirada pelas elegantes e imponentes formas dos animais e pelo potencial de manipulação de materiais de trabalho propositadamente inusitados, Rachel faz esculturas e bustos de animais numa interessante releitura de um objeto que é parte da cultura de várias regiões americanas, em especial no oeste dos desbravadores, que caçavam suas presas e as exibiam orgulhosos empalhadas em formas de troféus. As versões de Rachel, 100% “murder free” (livres de assassinato) e ecologicamente corretas, preserva a natureza viva onde deve estar, e ainda a leva simbolicamente para casa de uma maneira curiosa e diferente.

Portfólio: racheldenny.com

Portfólio: racheldenny.com

Social Distortion @ Via Funchal – SP, 2010

Posted in VIDEOBLOG with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 18/04/2010 by Bronx1985

Liderado pelo lendário Mike Ness, o Social Distortion se apresentou na noite desse sábado (17/04/10) para uma plateia de cerca de 5 mil pessoas na Via Funchal, em São Paulo. Com mais de trinta anos de banda, o grupo montou um repertório que durou 1h30 e fez a alegria dos seguidores do quarteto, que puderam pular ao som de sucessos como Prison Bound, Bad Luck, Mommy¿s Little Monster, Ball and Chain e Ring of Fire.

Com uma releitura dos mais de trinta anos de banda, o setlist dos americanos permitiu fãs enlouquecidos se abraçando, pulando, fazendo air guitars e alguns banhos de cerveja dos mais empolgados.

Visivelmente contente com a resposta positiva do público, Mike Ness se desculpou por não dominar o português, adiantou que a banda lança um novo álbum em setembro e prometeu um retorno em breve ao País. “Nos vemos no ano que vem”, gritou o vocalista ao deixar ao palco após o fim de Ring of Fire, famosa na voz de Johnny Cash.

Resenha original: terra.com.br/musica

Site oficial: socialdistortion.com

f

Resenha original: terra.com.br/musica

Site oficial: socialdistortion.com