Arquivo para preconceito

Do Cartoon para o Grafite, A Incrível Arte de Rua de Phlegm

Posted in FOTO ENSAIOS, PINTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 24/08/2011 by Bronx1985

Cartunista e Grafiteiro de talento ímpar, Phlegm é nascido no norte de Gales e hoje reside em Sheffield, no Reino Unido. Seus grafites, muitos oriundos e/ou inspirados em seus comics, são de cores exclusivas (preto e branco) e muitas intenções e mensagens subliminares intrínsecas.

Através de uma incrível e única técnica de traço via spray Jet, Phlegm aos poucos dá vazão aos mais representativos grafites já vistos. Seu talento e intimidade com as tintas são notáveis, e sua street art pode ser encontrados mais remotos e inusitados muros e paredes da Europa.

Único e intrigante, os grafites de Phlegm destacam-se no meio em que se encontram inseridos também por transporem a barreira de uma simples pintura e levarem aos observadores reflexões e críticas acerca do estilo capitalista contemporâneo de se viver em uma grande metrópole, como também preconceitos e demais situações tão presentes em nossas rotinas.

Portfólio: phlegmcomicnews.blogspot.com

Portfólio: phlegmcomicnews.blogspot.com

A Incrível Street Art de Chip Thomas

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 04/07/2011 by Bronx1985

Dinâmica por representação, crítica por essência e criativa por emprego, assim caracteriza-se a street art do artista plástico, fotógrafo e médico norte americano Chip Thomas, que agora reside e propaga suas colagens em Navajo, no continente africano.

Através da técnica de colagem estilo wheatpaste, Chip Thomas recria e difundi suas próprias fotografias nas paredes e muros dos mais inusitados e diferentes lugares, tudo em ordem para desta forma criar junto ao ambiente uma crítica bem humorada e, por vezes, colorida acerca das pretensões do artista norte americano sobre racismo e demais desigualdades sociais.

Em viagem ao Brasil em 2004 e posteriormente em 2009, Chip Thomas se confessa como um verdadeiro entusiasta da cultura brasileira, esta que exerceu forte influência em sua arte como um todo, dados todos as aspectos que a sociedade e cultura brasileiras possuem em consonância com algumas nações da África em relações a ritmos musicais, paradigmas vigentes e até mesmo desigualdades diversas.

Portfólio: chipthomasphotography.com

speakingloudandsayingnothing.blogspot.com

Portfólio: chipthomasphotography.com

speakingloudandsayingnothing.blogspot.com

A Vida, A Morte e As Fotografias de Kevin Carter

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 11/05/2011 by Bronx1985

Kevin Carter, nascido em 13 de setembro de 1960, foi um premiado fotógrafo jornalístico da África do Sul, muito famoso por suas imagens fortes sempre de cunho jornalístico que retratavam em sua maioria as questões sócias do seu continente natal, assim como a desigualdade social, a má distribuição de renda, o preconceito e a séria questão da fome na África.

Sua foto mais conhecida e que chocou o mundo quando revelada em 1993, trata-se de uma imagem de uma menina nos adentros do continente africano que havia parado para descansar ao esforçar-se para chegar a um centro de alimentação, onde um abutre tinha aterrado próximo. Ele disse que esperou aproximadamente 20 minutos, esperando que o abutre abrisse suas asas. Não o fez. Carter tirou a fotografia e perseguiu o abutre para afastá-lo. Entretanto foi criticado por somente estar fotografando e não ajudando a pequena menina.
Em 2 de abril de 1994 Nancy Buirski, um editor estrangeiro de fotografias do New York Times, telefonou para Carter para informar que ele tinha ganho o mais cobiçado prêmio de fotografia. Carter foi condecorado com o Prêmio Pulitzer por Recurso Fotográfico em 23 de maio de 1994 na Universidade de Colúmbia em Nova Iorque.

Em 27 de julho de 1994 levou seu carro até um local da sua infância e suicidou-se utilizando uma mangueira para levar a fumaça do escape para dentro de seu carro. Ele morreu envenenado por monóxido de carbono aos 33 anos de idade, deixando do nos um portfólio não tão extenso quem questões de quantidade de fotografia, porém algumas tão notáveis quanto reflexivas até hoje para a humanidade como um todo.

Partes da nota de suicídio de Carter diziam:
“_Estou deprimido… Sem telefone… Sem dinheiro para o aluguel.. Sem dinheiro para ajudar as crianças… Sem dinheiro para as dívidas… Dinheiro!!!… Sou perseguido pela viva lembrança de assassinatos, cadáveres, raiva e dor… Pelas crianças feridas ou famintas… Pelos homens malucos com o dedo no gatilho, muitas vezes policiais, carrascos… Se eu tiver sorte, vou me juntar ao Ken…”

A Crítica Visão de Mundo dos Grafites de Specter

Posted in PINTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 30/04/2011 by Bronx1985

Influenciado pela arquitetura, política, cultura local, realidade sócio-econômica ou qualquer outra situação que de alguma forma contribua para a concepção da suas pinturas a lá arte de rua, os grafites do nova iorquino Specter refletem de modo criativo e subjetivo a realidade de uma sociedade consumida por hábitos fundamentados em costumes degenerativos e egocêntricos.

Através de uma técnica sem muitos segredos de pintura estilo “urban art”, Specter dá forma a representações de pessoas em situações comuns (degradantes) à vida em grandes metrópoles, representações estas que chamam a atenção justamente por ali estarem inseridas de modo a levarem as pessoas questões sobre a importância de uma reflexão sobre pobreza, desigualdade social e preconceitos de ordens culturais.

De acordo com as próprias palavras do grafiteiro, seguem os motivos pelos quais ele faz o que faz: “_ Conectar o sujeito (homem real) ao objeto (vida) que o permeia, desta forma entendo a relatividade da importância do próximo em relação as nossas rotinas. Muitas vezes em situações que chegam a ser perigosas, vou a fundo no presenciar e entender e o que proponho a levar para a reflexão daqueles que não se permitem enxergar além dos vidros fechados de seus carros.”

Portfólio: specterart.com

Portfólio: specterart.com

A Dicotomia Bizarra dos Artefatos de Sebastian Errazuriz

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 03/12/2010 by Bronx1985

Nascido em Santiago, Chile, educado em Londres, UK e hoje artista baseado em Nova Iorque, EUA, Sebastian Errazuriz é considerado pela crítica especializada como um artista emergente para se prestar atenção.

Suas obras  representam o que há de mais curioso, vanguardista e, por assim dizer, bizarro na esfera da estética. Interessado na dicotomia presente entre a vida e morte, Errazuriz é claro ao dizer que seus artefatos, possuem a função de levar aos observadores a reflexão entre a vida e a morte, levando as pessoas a repensarem suas crenças, interesses particulares e paradigmas pessoais.

Através do uso, muitas vezes com fins cômicos, dos mais inusitados materiais, como tecidos, animais “empanados” e utensílios domésticos, Errazuriz dá vazão a sua criatividade e nos propõe objetos tão funcionais quanto alternativos, tudo de modo a nos lembrar da importância da quebra de nossas rotinas e com conotações anti preconceitos vigentes.

Portfólio: meetsebastian.com

Portfólio: meetsebastian.com