Arquivo para pano

Camuflagem Artística, o Movimento Unificado de Cecilia Paredes

Posted in PINTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 07/02/2012 by Bronx1985

Boliviana de Peru, as composições de Cecila Paredes são universais e representam a unificação do belo. Singelas superfícies com uma conotação erótica tomam forma com o corpo da própria artista numa interessante e inteligente confusão deliberada de plano de fundo inspirado na natureza e a própria natureza do modelo de corpo humano.

Através de bem empregadas técnicas sobrepostas de pintura corporal e uso vestimentas pré-elaboradas com bases nos fundos expostos, Cecilia Paredes se funde com as paisagens, tornando-se uma como o todo e levando aos observadores reflexões acerca da importância de si próprios junto a manutenção e inserção responsável no meio ambiente.

Com exposições recorrentes tanto na Bolívia quanto nos EUA, lugar este último onde atualmente reside, a artista e suas composições de destacam junto ao meio artístico justamente pela inteligente representação exposta, agregando à estética como um todo uma singular dimensão de sonho e realidade, meio e fim.

Portfólio: ceciliaparedes.com

Portfólio: ceciliaparedes.com

VEJA TAMBÉM: Liu Bolin, o homem que quer ser invisível

O crítico grafite inverso do brasileiro Alexandre Orion

Posted in PINTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 07/04/2010 by Bronx1985

“Cidades estilhaçadas, estiradas ao longo de ruas vazias nas quais se alinham construções idênticas e onde a paisagem urbana (o deserto) diz: _ Estas ruas são feitas para se dirigir tão rapidamente quanto possível do trabalho para casa e vice-versa.  São ruas para passar, não para viver.”  André Gorz – A Ideologia Social Do Automóvel

É neste contexto e reflexão que se insere o crítico grafite inovador ao inverso do brasileiro Alexandre Orion, seu trabalho (arte) consiste unicamente pela limpeza de estruturas internas de túneis urbanos, Orion, com um pano branco em mãos que faz o papel de jet (pincel) e uma máscara para se proteger da poluída atmosfera presente no interior dos túneis dos grandes centros cosmopolitas brasileiros, vai aos poucos desenhando (representando), uma a uma, caveiras estilizadas no maior “traço  grafite” ao longo da vias subterraneas escolhidas,.

Tudo em alusão e crítica à sujeira e poluição que é o ar das grandes cidades nos dias de hoje, cidades estas de forma precariamente limpas e conservadas, ocasionando uma depreciativa qualidade de vida e até mesmo uma longevidade cruelmente encurtada por problemas respiratórios e psicológicos.

Portfólio: alexandreorion.com

Portfólio: alexandreorion.com