Arquivo para obras

Sandalism: Quando a Areia Ganha Vida

Posted in ESCULTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 18/08/2010 by Adriana Almeida

Em Londres, seja na calada da noite ou em eventos mega badalados, uma nova forma de arte, ou melhor dizendo, uma velha forma de arte ganha ares contemporâneos e um novo nome. Os velhos castelos na areia se modernizaram e agora se chamam Sandalism, uma junção de Sand (areia) com vandalismo, mas um “vandalismo” saudável e artístico…

Um belo dia, ao chegarem para trabalhar, operários inglêses encontram seus montes de areia para construção, transformados em verdadeiras obras de arte, sem terem sequer a menor idéia de como elas haviam surgido. As esculturas feitas de areia ganharam a atenção do público e da mídia, se tornaram um movimento artístico e maravilharam operários, transeuntes locais e turistas pelos últimos 2 anos, quando o movimento parece ter começado.

As esculturas são efêmeras, desfeitas pelo vento ou pelo trabalho que recomeça no dia seguinte, mas falam diretamente ao público que passa atribulado por seu cotidiano, e desperta sorrisos de encantamento e admiração no meio de dias cinzas. Zara Gaza, uma das expoentes desse movimento, orgulhosa de provocar sorrisos nos moradores londrinos diz: “Sempre fui interessada em arte de rua e em algo que as pessoas tivessem fácil acesso”.

Portfólio: sandalism.co.uk

Portfólio: sandalism.co.uk

Livros com Frete Grátis nas compras acima de R$ 39! - Submarino.com.br

Mestre das Ilusões: os foto ensaios de Vik Muniz

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 06/07/2010 by Adriana Almeida

Você precisa treinar seus olhos. O que você está vendo não é o que parece, mas é exatamente o que você está vendo. Confuso? Conheça a arte do fotógrafo brasileiro Vik Muniz. Nascido em São Paulo mas residindo e trabalhando em Nova York, Vik ficou famoso e conquistou o mundo da arte com seu projeto Sugar Child. Como foi feito? Em uma plantação de açúcar, Muniz fotografou os filhos dos operários, e usando papel escuro e diferentes tipos de açúcar, reproduziu as imagens previamente fotografadas e as fotografou novamente. Pura meta-linguagem recursiva…

Mas nada é inusitado o suficiente para Muniz, que possui no seu repertório obras semelhantes feitas com geléia, manteiga de amendoim, arame, fios, poeira, papel, calda de chocolate e até macarrão com molho. O limite da criatividade de Vik é inexistente: tudo vira obra de arte e mais importante que isso, tudo conta uma história sobre o objeto da fotografia original e o material utilizado.

O reconhecimento, segundo o artista, levou 17 anos para acontecer da noite para o dia. Parece paradoxal, mas não é. A base construída propiciou que ele se tornasse o “queridinho” da arte contemporânea, e lhe rendesse não só inúmeras exposições, mas seu trabalho exposto em catálogos famosos e a honra de ser convidado a organizar uma exposição no mais influente museu de arte moderna do mundo, o Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA): ele foi o curador da nona versão da Artist’s Choice (Escolha do Artista), que ocorreu entre 2008 e 2009. Em janeiro de 2010, o documentário “Lixo Extraordinário” sobre seu trabalho com catadores de lixo em Duque de Caxias foi premiado no Festival de Sundance. No Festival de Berlim, também em 2010, foi premiado em duas categorias, o da Anistia Internacional e o de  público na mostra Panorama.

A expressão “Thinking outside of the box” (pensar fora da caixa) é pouco para definir Vik Muniz. Com um trabalho diferente, criativo e multi-significante, ele não apenas usa elementos diferentes para montar suas obras, mas faz um trabalho de imersão nesse materiais e conta uma história com eles. Assim, suas fotos não são fotos, são estudos sobre materiais que se revertem em montagens que se revertem em fotos. Não é a toa que Vik Muniz está merecidamente espalhado em galerias e coleções particulares no mundo todo.

Portfólio: vikmuniz.net

Portfólio: vikmuniz.net

Livros - Submarino.com.br