Arquivo para metal

Manowar @ Credicard Hall, SP – 2010

Posted in VIDEOBLOG with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 10/05/2010 by Bronx1985

Além da tradicional maré de camisetas pretas que invadiu o Credicard Hall, em São Paulo, nesta sexta-feira (7/05), a noite regada de metal do Manowar ganhou alguns extras para empolgar o público, cerca de 6,3 mil. Fora os intermináveis banhos de cerveja, air guitars e chicoteadas com os cabelos dos headbangers, o grupo ainda levou ao palco um grupo de quatro garotas que se despiram para o deleite dos fãs e um sortudo que tocou guitarra junto com a banda.

Abrindo com Hand of Doom, o quarteto não fez cerimônia e já atacou com uma sequência de canções pesadas: Call To Arms e Die With Honor. Em um intervalo mais “místico”, Swords In The Wind fez uma pausa para todos os metaleiros erguerem seus celuares e cantarem em uníssono com Eric Adams.

a banda seguiu apostando em suas canções metaleiras, mas sempre priorizando canções da atual turnê, baseada nos discos God of War, de 2007, e no EP Thunder In The Sky, de 2009. A ausência de alguns clássicos como Battle Hymn, Blow Your Speakers e Carry On deixou nitidamente alguns fãs fervorosos exaltados que deixaram o show mais cedo. Mas nada que atrapalhasse o show.

De Gods of War, o grupo tocou canções como King of Kings, Loki God of Fire e Sons of Odin. A escolha por priorizar músicas novas causou até uma movimentação em redes sociais e blogs na internet. Muitos fãs criticaram a opção do Manowar e chegaram a desencorajar os seguidores que planejam conferir os shows do Rio de Janeiro (8/05) e Belo Horizonte (9/05). Cada um na sua.

Site Oficial: manowar.com

Resenha origianl: terra.com.br/musica

Site Oficial: manowar.com

Resenha origianl: terra.com.br/musica

Livros - Submarino.com.br

A essência cult das esculturas de Jessica Joslin

Posted in ESCULTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 08/05/2010 by Bronx1985

Americana natural de Boston, porém hoje residente em Chicago, EUA, Jessica Joslin é perita na arte de manufaturar as mais diferentes e controversas esculturas, dadas as inusitadas matérias primas utilizadas junto as mesmas, como ossos de animais, metais diversos e tintas plásticas. Através de uma técnica singular de união dos materiais acima citados através de solda e/ou cola, Joslin vai dando forma as mais diferentes e criativas representações de animais (criaturas), estes sempre extraídos da sua fértil e produtiva imaginação.

Famosas no cenário artístico cult e sempre em constantes exposições nas galerias modernas de apelo mais alternativo, as esculturas de Joslin são de natureza gótica, embora mesmo assim preservem leves traços serenos, que de alguma forma ou outra nos remetem a delicadeza e sensibilidade das peças, bem como da escultora em si.

Nos raros momentos em que Joslin não se encontra criando suas únicas esculturas, ela pode ser encontrada ocupando-se da fabricação de protótipos de brinquedos para a industria infantil, que, dadas as aparências das suas esculturas, no mínimo também únicos devem ser!!

Portfólio: jessicajoslin.com

Portfólio: jessicajoslin.com

Livros - Submarino.com.br

“Ephemicropolis”, a cidade de Peter Root

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 02/05/2010 by Bronx1985

Bem como ser simples, as experiências lúdicas do trabalho Ephemicropolis de Peter Root remete nos a temas de impermanência, repetição, estrutura padrão, escala e arquitetura. Ephemicropolis muitas vezes toma a forma de algo extremamente frágil, sob um regime temporário, sujeita à eventos de essência micro-apocalíptica, como uma brisa leve ou uma folha caindo.

Através de uma técnica insistente e precisa de aglutinação de milhares de grampos de metal, Peter Root foi aos poucos (demorou 40 horas) e pacientemente criando uma das mais fantásticas representações de uma grande metrópole moderna, que destaca-se pela singularidade da matéria prima utilizada à sua confecção e pelo efeito visual que a magnitude da obra causa, se tomarmos como princípio as dimensões de um grampo único sozinho.

Acerca do artista, Peter Root é inglês e é formado em Belas Artes pela University College Falmouth, no Reino Unido. Sempre interessado em criar obras de arte que utilizem os aspectos do mundo ao seu redor, por vezes, ignorando sua funções ou padrões iniciais, como exemplo destaco objetos diversos, tecnologia, alimentos e o som.

Portfólio: peterroot.com

 Portfólio: peterroot.com

Livros com Frete Grátis nas compras acima de R$ 39! - Submarino.com.br

Korn @ Credicard Hall – SP, 2010

Posted in VIDEOBLOG with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 22/04/2010 by Bronx1985

Com casa cheia, o Korn finalizou em São Paulo sua turnê sul-americana na noite desta quarta-feira (21). O show é um dos últimos antes do lançamento de Korn III: Remember Who You Are, nono disco de estúdio de uma das principais referências mundiais do new metal.

A pressão do som era tão forte, que na pista vip era possível sentir o vento proveniente da pressão das caixas de som. Neste e em todos os setores, os fãs encheram o Credicard Hall e puderam cantar pela terceira vez ao lado de Jonathan, Fieldy, Munky e Ray.

Um dos pontos altos da noite foi o sucesso Freak On a Leash, cantada em coro por todo o público. A execução da faixa foi precedida de uma jam entre os instrumentistas do grupo, com grande destaque para o baterista Ray Luzier, que mostrou grande habilidade e bom humor, fazendo poses a cada batida.

No bis, James apresentou a plateia sua gaita de foles em Shoots and Ladders, para em seguida finalizar o show com Clown e Got The Life.

Mesmo sem dizer um “thank you” de despedida (apesar de ter agradecido os fãs diversas vezes durante o show), os integrantes do grupo foram muito simpáticos, levando pequenos presentes ao público: o guitarrista James jogou diversas palhetas e desceu ao fosso para tirar uma foto com a plateia que se aglomerava para sair no fundo; Já Ray jogou muitas baquetas para os fãs em todos os lados da lista e uma pele autografada de sua bateria.

Site oficial: korn.com

Resenha original: terra.com.br/musica

Site oficial: korn.com

Resenha original: terra.com.br/musica

Livros - Submarino.com.br

As esculturas recicladas de Joe Pogan

Posted in ESCULTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 14/04/2010 by Bronx1985

Joe Pogan é nativo de Oregon, EUA, mas atualmente reside e executa suas esculturas em Aloha, também EUA. Após cumprir quatro anos na Marinha, passou a estudar artes e técnicas de solda de metais, daí foram mais de vinte anos como soldador profissional,  onde dedicou-se a exigente função de soldar peças de alumínio para a confecção de quadros de mountain bikes.

Não contente com a direção que sua vida profissional e pessoal tomava, um dia Pogan teve a brilhante idéia de utilizar a sua combinação única de experiência de solda e seu individual talento artístico para nos últimos anos criar uma incrível variedade de esculturas de animais (pássaros e peixes na grande maioria) através da utilização de metais diversos encontrados em lixos de indústrias, oficinas e casas residênciais.

Como obra final, Pogan cria inusitadas obras primas que, além de fazerem reais críticas ao desperdício e não reciclagem de metais por parte das sociedades, fazem menções diretas à destruição da flora e fauna por parte do crescimento desorganizado do modo de vida capitalista consumista das culturas ocidentais modernas.

Portfólio: joepogan.com

Portfólio: joepogan.com