Arquivo para interior

A Peculiar Estética Experimental do Corpo Humano, por Michael Reedy

Posted in PINTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 13/01/2011 by Bronx1985

Mestre em Artes pela Northern Illinois University, Estados Unidos da América, o pintor norte americano Michael Reedy é dotado de uma sensibilidade sem limites para o representar em óleo sobre tela o corpo humano e a relação existente entre o óbvio visível o interior conhecido pela ciência.

Através de uma detalhada técnica de pintura utilizando-se de cores e contornos que traçam com fidelidade as singularidades do corpo humano, Reedy vai dando vazão a sua íntima criatividade em exposições estéticas de situações corriqueiras do homem moderna, porém tudo em perfeita harmonia com o intencionado pelas pinturas do cara.

Ganhador de diversos prêmios em arte, destaco aqui os importantes e recentes “Honorable Mention”, 10 x 10 National Small Works Exhibition, Nova Southeastern University, Gallery 217 e “Best of Show”, The Body Eclectic 2010, Lawrence Street Gallery, visto que suas pinturas encontram-se em exposições nos mais diversos centros de arte contemporânea espalhados tanto pelos EUA como pela Europa.

Portfólio: mikereedy.com

Portfólio: mikereedy.com

Temporal: o sagrado e o profano de Stephan Doitschinoff (Calma)

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 28/06/2010 by Adriana Almeida

Apesar do nome complicado que vem de sua ascendência búlgara, Stephan Doitschinoff é um brasileiro nascido em São Paulo, 1977, que atende pela alcunha de Calma, uma corruptela de COM ALMA em latim. Autoditada, Calma tem o sincretismo religioso como fonte inesgotável de inspiração: filho de um pastor evangélico, neto e bisneto de espíritas, com passagem por terreiros de umbanda e grupos Hare Khrishna e estudos da filosofia do  zen budismo e do taoísmo, sua arte é a junção dos simbolismos de todas essas religiões, e outras mais.

Em sua trajetória houveram exposições individuais em Londres, Nova York e São Paulo. O ganhador do segundo lugar no prêmio Jabuti de ilustração, pelo livro “Palavra Cigana”, nos anos 90, e antes de trabalhar com murais e telas, fazia cenários de shows de bandas punk e capas de discos, incluindo a capa do álbum “Dante XXI” do Sepultura em 2006.

Em 2005, Calma que sempre morou em grandes centros, no Brasil e fora dele, resolveu se isolar em um estúdio no meio do mato, em uma cidade do interior da Bahia, Lençóis. De lá ele envia suas obras para São Paulo, onde são rapidamente vendidas. Com a intenção de se aprofundar no folclore e na arte popular, em suas visitas a casa em busca de santuários e oratórios para estudar, iniciou um projeto paralelo grandioso e espetacular: pintar uma cidade inteira. Depois das primeiras casas pintadas, os próprios moradores procuravam por Calma solicitando que suas casas também fossem pintadas com sua arte excepcional, que juntando o sagrado e o profano e suas visões de , mostra a trajetória das crenças religiosas em um país tomado pelo sincretismo, os mitos e as lendas…

Calma deixou Lençóis (BA) em 2008 deixando para trás uma impressionante instalação urbana feita através de sua intervenção na cidade com a colaboração de todos os moradores. Desde então já participou de várias mostras (destaque para a mostra De Dentro para Fora/ De Fora para Dentro no Museu de Arte de São Paulo) e recebeu vários prêmios como o Artista Revelação de 2009 da  Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e o prêmio Interações Estéticas: Residências Artísticas em Pontos de Cultura vindo da Fundação Nacional das Artes e do Ministério da Cultura.  No momento Calma segue com seu trabalho que incita uma reflexão sobre a relação de nossa herança cultural com o contemporâneo.

Portfólio: myspace.com/stephan_doitschinoff

Assistam ao documentário Temporal: a arte de Stephan Doitschinoff

Portfólio: myspace.

com/stephan_doitschinoff

Livros - Submarino.com.br