Arquivo para impressiona

Escavando o Próprio Caminho II – Flávio Augusto Ribeiro

Posted in PINTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 14/02/2011 by Adriana Almeida

Continuando a série destacando o trabalho de ilustradores nacionais pouco conhecidos, seguimos com Flávio Augusto Ribeiro.

O mineiro de Juiz de Fora, Flávio tem um talento que impressiona. Anos atrás, acompanhei seu trabalho para uma série de livros chamada Crônicas da Sétima Lua, e elas me tiraram o fôlego. Não só eram excepcionalmente lindas, como reproduziam com perfeição a idéia central do livro. No decorrer de alguns anos em que acompanhei seu trabalho para esse e outros livros, foram dezenas de ilustrações, todas acertando exatamente no ponto central.

Seu talento para as imagens relacionadas à literatura fantástica é incontestável, e torna a fantasia em realidade. Mas ele é extremamente eclético. Trabalhando mais recentemente para a revista infantil Recreio, é possível ver em seu portfólio imagens totalmente diferentes dessas que selecionei, e ainda assim, perfeitas na adequação ao conteúdo que retratam, além de ser possível ver em seu blog várias imagens em diferentes estágios de finalização, acompanhando seu processo de produção.

Porfólio: norwoodfisher.blogspot.com

Porfólio: norwoodfisher.blogspot.com

Kimiko Yoshida e a Iconografia Ímpar em seus Auto-Retratos

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 23/01/2011 by Adriana Almeida

Kimiko Yoshida não é a primeira nem será a última artista a se expressar através do auto-retrato. Mas essa artista nascida em Tóquio, Japão, e que desde 1985 reside na Europa, mais precisamente na França, tem seu lugar de destaque entre os que se auto-retratam como forma de arte.

Seu trabalho é único em vários aspectos. A começar pela clara junção da dicotomia oriente/ocidente em cada peça, que expressam uma grande serenidade e uniformidade estética, onde o monocromático e o arroubo na cor convivem em perfeita harmonia. Kimiko usa seu corpo como tela para ícones da história da arte, da moda, da espiritualidade em releituras de outros artistas que impressionam. O figurino, alguns desenhados por ícones como Paco Rabanne (todos dessa seleção), obviamente ajuda na criação de peças que são disputadas e que já foram expostas em incontáveis amostras ao redor do mundo, mas definitivamente não resumem sua obra, que é muito mais complexa e rica do que simplesmente incríveis indumentárias.

Portfólio: kimiko.fr

Portfólio: kimiko.fr

Paco Pèregrín: Acadêmico, Mas com Instinto

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 15/01/2011 by Adriana Almeida

Paco Pèregrín é um fotógrafo espanhol formado em Belas Artes pela Universidade de Sevilha, com especialização em diversas instituições famosas como o Centro Internacional de Fotografia de Nova York, a Universidade Saint Martins de Arte e Design de Londres e o Centro Andaluziano de Arte Contemporânea, só pra citar algumas. Mas não é seu extenso currículo acadêmico que impressiona.

Seu domínio acadêmico da técnica até pode tê-lo ajudado, mas é também seu inegável talento, olhar clínico e criatividade que entram em cena produzindo fotografias que criam um misto de sensações e prendem nossa atenção.

Trabalhando ao lado da dupla de estilistas Kattaca (Carol Gamarra e Mario Ville), ele tem produzido peças únicas, que saem da esfera da moda e se transformam em arte, pura e simples.

Portfólio: pacoperegrin.com

Portfólio: pacoperegrin.com

Os Monstros Contemporâneos de Jérôme Meynen

Posted in PINTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 15/12/2010 by Adriana Almeida

O belga Jérôme Meynen desenha à nanquim e eventualmente usa o recurso da colagem para pequenos detalhes em sua obra. Pontos, linhas, pontilhados, áreas preenchidas e áreas em branco. Quase todo mundo que já tentou aprender a desenhar passou pelo martírio ou divertimento (vai da índole de cada um…) do trabalho com nanquim quando tudo é expresso em duas únicas cores: o preto e a ausência dele. Portanto, não há nada de novo na técnica de Jérôme. O que impressiona é a riqueza de detalhes e de simbolismos. A maior parte de suas peças é composta de um somatório de cenas interligadas onde cada pequeno pedaço conta uma história por si só, e o todo se torna maior que a soma das partes.

Jérôme já participou de diversas exposições em grupo ou individuais, a maioria na Bélgica, mas seu trabalho já pode ser visto também na Espanha, Estados Unidos e França. Em sua obra, temos uma releitura dos nossos monstros interiores, trazidos à luz do contemporâneo, interligados em cenas complexas como complexos somos nós e tudo isso em obras tão cheias de detalhes que revelam o talento e o comprometimento de seu autor. Sem dúvida, um portfólio a ser conferido e um nome a se ficar de olho.

Portfólio: hellomonsters.wordpress.com

Portfólio: hellomonsters.wordpress.com