Arquivo para imagem

Aquarela Metropolitana, o Contemporâneo Mix de Tintas de Reey Whaar

Posted in PINTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 02/09/2013 by Bronx1985

Pintor e ilustrador digital russo, Reey Whaar é meticuloso e, por vezes, politicamente incorreto. Suas composições retratam o ser humano atual e seu peculiar movimento social para com seus semelhantes.

Através do uso de diferentes técnicas de pintura e outras também diferentes técnicas de ilustração digital, o russo aos poucos contempla ao homem um interessante sentido bem humorado do mesmo em relação à sua vivência mundana, tudo em interessante harmonia com a proposta de sutil inserção demensagens indiretas e subliminares agregadas às obras.

Com um portfólio tão diferenciado quanto às próprias representações de Reey Whaar, por assim dizer, recomendo aos interessados uma visita ao site do artista, visto que material poderá ser comprado e contato direto com o artista também poderá ser feito.

Portfólio: reey.ru

Reey Whaar Paintwork

Reey Whaar Paintwork

Reey Whaar Paintwork

Reey Whaar Paintwork

Reey Whaar Paintwork

Reey Whaar Paintwork

Reey Whaar Paintwork

Reey Whaar Paintwork

Reey Whaar Paintwork

Reey Whaar Paintwork

Reey Whaar Paintwork

Reey Whaar Paintwork

Portfólio: reey.ru

Foto Surrealismo, os Conceituais Ensaios de Sandy Skoglund

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 08/05/2012 by Bronx1985

Natural de Quincy (Massachusetts) e hoje residente em Jersey City (New Jersey), ambas cidades nos EUA, a artista plástica, escultora e fotógrafa norte americana Sandy Skoglund a tempos possui seu nome presente na esfera da arte contemporânea moderna. Suas composições fotográficas, sendo as primeiras datadas dos anos 70, são consideradas importantes exponenciais em arte conceitual, dadas as cores, formas e ângulos de exposição trabalhos e imparmente utilizados.

Interessada em um diferenciado jogo de cores, imagens e objetos, suas fotografias marcam a transição de uma visão direta e complexa para um campo na fotografia basicamente inserido na indiretriz de foco e simplicidade de composição, criando desta forma imagens ímpares por essência e totalmente diferentes daquilo que até então costumava-se ter como ponto de partida, o óbvio.

Com exposições recorrentes por todos os EUA e com trabalhos já expostos por toda a Europa e alguns pontos da Ásia, a arte de Sandy Skoglund é daquelas que rompe com paradigmas e, embora possamos encontrar diversos outros artistas com as mesmas intenções em composições similares, fato é que a norte americana foi uma das precursoras na representação da arte pop, hoje tida como cult.

Portfólio: sandyskoglund.com

Portfólio: sandyskoglund.com

Escavando o Próprio Caminho I – Alexandre Bar

Posted in PINTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 13/02/2011 by Adriana Almeida

Eles têm muita coisa em comum. São brasileiros. São talentosos. São ecléticos. E estão escavando na unha seu caminho para terem sua arte reconhecida e poderem viver do talento que possuem.  Em seus currículos não há exposição em museus famosos. Através do trabalho duro, eles acumulam trabalhos em algumas revistas ou livros, e alguns trabalhos conseguidos no mercado exterior. Nada ainda que os coloque em destaque como desejam e merecem. Mas eles estão lá, batalhando todo dia na prancheta e no photoshop, perseguindo um caminho que aos olhos dos apreciadores de arte, parece fácil, mas é suado como todos os caminhos… Essa série de posts são pagamentos de uma dívida. Ilustradores que conheço e que me impressionam diariamente com seu talento, mas que ainda não possuem reconhecimento condizente com o trabalho que executam. Embora sejam muitos os que se encaixam nesses critérios, irei selecionar apenas alguns, não baseado no talento mas na suas capacidades de se renovarem e se adaptarem para viver de arte, sem perder suas características próprias.

Ilustrar é uma tarefa difícil. É pegar uma idéia alheia e transformá-la em imagem, de forma a respeitar o conteúdo original, mas também superá-lo, colocando um pouco de si no produto final. Diferente do trabalho artístico independente, a partir de idéias pessoais, ilustrar é a arte cooperativa e é uma experiência social. É preciso ser duplamente talentoso, para ser capaz de compreender a arte textual de alguém e transformá-la em iconográfica.

O paulista Alexandre Valença Alves Barbosa, ou Alexandre Bar, é formado em publicidade e propaganda e como “day job” é professor universitário. Mas de fato é Ilustrador, cartunista, chargista e quadrinista. Quem trabalha com ele lhe dá o singelo apelido de Fast & Furious (Rápido e Furioso), já que é impressionante a rapidez com quem finaliza seus trabalhos, sempre no prazo e dentro das especificações, características que valem ouro no mercado da arte comercial. Mas o resultado também é sempre surpreendente, dando vida às palavras e idéias que ilustra com uma invejável clareza e com um traço que é indiscutivelmente, o traço do Bar…

Porftólio: alexandrebarbosa.com e artesdobar.blogspot.com

Porftólio: alexandrebarbosa.com e artesdobar.blogspot.com

Os Espelhos Assombrados de Allison Diaz

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 11/12/2010 by Adriana Almeida

A americana Allison Diaz possui uma série de colagens chamada “Haunted Mirrors” (Espelhos Assombrados) onde fotos duplicadas e re-montadas em pequenos losangos criam um efeito perturbador e rico em significados.

Na série, Allison brinca com o foco, a proporção, a direção e o sentido de cada fração da imagem criando um efeito único que nos remete à nossa auto-imagem, nossos fantasmas interiores e nossos medos mais ocultos que nos confrontam diariamente no espelho. Vale a pena uma visita em sua galeria no Flickr onde em algumas imagens é possível ver o processo de criação dessas peças tão únicas quanto significativas.

Porftólio: flickr.com/allisondiaz

Porftólio: flickr.com/allisondiaz

Mestre das Ilusões: os foto ensaios de Vik Muniz

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 06/07/2010 by Adriana Almeida

Você precisa treinar seus olhos. O que você está vendo não é o que parece, mas é exatamente o que você está vendo. Confuso? Conheça a arte do fotógrafo brasileiro Vik Muniz. Nascido em São Paulo mas residindo e trabalhando em Nova York, Vik ficou famoso e conquistou o mundo da arte com seu projeto Sugar Child. Como foi feito? Em uma plantação de açúcar, Muniz fotografou os filhos dos operários, e usando papel escuro e diferentes tipos de açúcar, reproduziu as imagens previamente fotografadas e as fotografou novamente. Pura meta-linguagem recursiva…

Mas nada é inusitado o suficiente para Muniz, que possui no seu repertório obras semelhantes feitas com geléia, manteiga de amendoim, arame, fios, poeira, papel, calda de chocolate e até macarrão com molho. O limite da criatividade de Vik é inexistente: tudo vira obra de arte e mais importante que isso, tudo conta uma história sobre o objeto da fotografia original e o material utilizado.

O reconhecimento, segundo o artista, levou 17 anos para acontecer da noite para o dia. Parece paradoxal, mas não é. A base construída propiciou que ele se tornasse o “queridinho” da arte contemporânea, e lhe rendesse não só inúmeras exposições, mas seu trabalho exposto em catálogos famosos e a honra de ser convidado a organizar uma exposição no mais influente museu de arte moderna do mundo, o Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA): ele foi o curador da nona versão da Artist’s Choice (Escolha do Artista), que ocorreu entre 2008 e 2009. Em janeiro de 2010, o documentário “Lixo Extraordinário” sobre seu trabalho com catadores de lixo em Duque de Caxias foi premiado no Festival de Sundance. No Festival de Berlim, também em 2010, foi premiado em duas categorias, o da Anistia Internacional e o de  público na mostra Panorama.

A expressão “Thinking outside of the box” (pensar fora da caixa) é pouco para definir Vik Muniz. Com um trabalho diferente, criativo e multi-significante, ele não apenas usa elementos diferentes para montar suas obras, mas faz um trabalho de imersão nesse materiais e conta uma história com eles. Assim, suas fotos não são fotos, são estudos sobre materiais que se revertem em montagens que se revertem em fotos. Não é a toa que Vik Muniz está merecidamente espalhado em galerias e coleções particulares no mundo todo.

Portfólio: vikmuniz.net

Portfólio: vikmuniz.net

Livros - Submarino.com.br

Betsy Vanlangen e suas curiosas fotografias

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 03/04/2010 by Bronx1985

Betsy Vanlangen é uma, no mínimo, curiosa fotógrafa norte americana que gosta de brincar com texturas, materiais diversos e modelos vivos. Ela faz experimentos para lá de criativos em seu estúdio em Glen Rock, cidade de Nova Jersey, no estado de Nova Iorque.

Seus trabalhos são amplamente difundidos na mídia e sempre bem elogiados pela crítica especializada, dadas as suas naturezas únicas e a possibilidade de múltiplas interpretações por parte dos observadores. Para elaboração dos mesmos, Vanlangen utiliza-se dos mais diversos tipos de materiais,  que vão desde geléias, pasta de amendoim, jornais, tintas diversas e até mesmo tachinhas.

Portfólio: betsyvanlangen.com

Portfólio: betsyvanlangen.com

Foto ensaio das expressões populares brasileiras (Pequeno Dicionário Ilustrado de Expressões Idiomáticas)

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 28/03/2010 by Bronx1985

“Queimar a rosca”, “Trocar as bolas”, “Soltar a franga”, “Tempestade num copo d’água”, dentre muitos outros existentes, quem nunca ouviu e/ou proferiu estas expressões populares?

Partindo deste princípio, o foto ensaio aqui apresentado traz para o campo do visual (foto ensaio) estas e mais outras 35 expressões corriqueiras do dia a dia do brasileiro, como resultado nota-se um foto trabalho de notável bom gosto humorístico que retrata com fidelidade a rotina do linguajar popular junto as nossas relações socioculturais.

Publicado originalmente no livro “Pequeno Dicionário Ilustrado de Expressões Idiomáticas”, dos fotógrafos Everton Ballardin e Marcelo Zocchio, expresso em 1999 pela Editora DBA, é nítida a utilização de uma técnica básica de fotografismo em diferentes ângulos e perspectivas de situações pré-determinadas, levando a sensibilidade humana brasileira de encontro ao relativismo que criou com a sua expressão oral quando defrontada com o visual.

Prova da riqueza e singularidade que é a cultura tupiniquim.

Portfólio: Marcelo Zocchio

Portfólio: Everton Ballardin

Portfólio: Marcelo Zocchio

Portfólio: Everton Ballardin

Livros - Submarino.com.br

%d blogueiros gostam disto: