Arquivo para Hungria

Ilustrações Medievais Subliminares, a Arte de Istvan Orosz

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 26/07/2012 by Bronx1985

Renomado Ilustrador húngaro interessado nos per meios da historia do homem, é nítido nas composições de Istvan Orosz trabalhos gráficos individuais de arte que são frequentemente relacionados com o pós-modernismo por formas arcaicas, citações referenciais históricas, citações estilísticas e lúdicas autorreflexivas.

Outra característica curiosa também perceptível nas ilustrações do húngaro e o tema abordado de ciências naturais, especialmente o da geometria e da ótica aparecem na maioria de suas obras. Ele também se preocupa com as teorias de visão e expõe a maneira como hipotéticas expectativas do observador influenciam na percepção visual e empírica das construções espaciais.

Formado com louvor pela renomada University of Arts and Design em Budapeste, frequentemente seus trabalhos encontram-se expostos pela Europa, visto que o ilustrador é tido como referência quando o assunto é comunicação visual dentre os moldes citados acima.

Portfólio: utisz.blogspot.pt

Portfólio: utisz.blogspot.pt

Deserto Urbano, as Fascinantes Fotografias em Preto e Branco de Martin Stavars

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 04/04/2012 by Bronx1985

As cidades, grandes organismos vivos, modernas, cosmopolitas e proporcionalmente tão cheias de habitantes quanto estes se encontram proporcionalmente tão cheios e afazeres e pressa, porém é sob a ótica do fotógrafo polonês Martin Stavars que estas cidades agora tornam-se lugares desolados, mergulhados em paz e serenidade que acabam por agregar as imagens propostas um interessante sentido poético.

Seguem palavras do próprio autor que resumem seu amor e explicitam como ele consegue tão fascinantes imagens: “Ultimamente, aumentarem os meus interesses por paisagens urbanas, onde também se é possível encontrar duas características marcantemente presentes na natureza – a harmonia e paz, visto que foi enquanto tirava fotos nas maiores cidades europeias que tive para desenvolver a virtude mais importante de um fotógrafo – paciência”.

Intuitivo, de um talento notável e interessante renome junto a comunidade crítica especializada em fotografia, Martin Stavars de fato é mestre na capturação de imagens únicas de cidades únicas, visto que em seu portfólio encontram-se visitadas (e clicadas) as mais importante metrópoles mundiais e países, tais como Paris, Barcelona, Hungria, Lituânia, Letônia, Bélgica, Holanda, Inglaterra, País de Gales, Alemanha, Irlanda, Portugal, Hong Kong, Singapura, Xangai, Tóquio, Canadá, Ártico, Groenlândia, Istambul e Dubai.

Portfólio: martinstavars.com

Portfólio: martinstavars.com

As Guerras dos Homens sob as Lentes de Robert Capa

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 16/05/2011 by Bronx1985

Robert Capa, cujo nome verdadeiro era Endre Ernő Friedmann nasceu em Budapeste no dia 22 de Outubro de 1913, sendo encontrado morto em Thai-Binh, Vietnã, em 25 de Maio de 1954, foi um cidadão húngaro e um dos mais célebres fotógrafos de guerra, Capa cobriu os mais importantes conflitos da primeira metade do século XX: a Guerra Civil Espanhola, a Segunda Guerra Sino-Japonesa, a Segunda Guerra Mundial na Europa (em Londres, na Itália, a Batalha da Normandia em Omaha Beach, e a liberação de Paris), no Norte da África, a Guerra árabe-israelense de 1948 e a Primeira Guerra da Indochina.

Suas fotografias, muito mais do simples registros de guerras, tinham a capacidade ímpar de levar aos observadores muito mais do que se destinavam a representar, Capa se tornou famoso pelos sentimentos que suas fotos possuíam, o húngaro possuía um talento sem precedentes para a captura de emoções humanas em tempos de desgraça e mortes infindáveis.

Em Junho de 1944 participa no desembarque da Normandia, o Dia D. Depois da guerra, com David Seymour, Henri Cartier-Bresson e George Rodger, funda a Agência Magnun (constituída oficialmente em 1947). Nos primeiros tempos, ocupa-se na organização da estrutura, partindo em seguida para o “terreno”.

Capa morreu na Guerra da Indochina, em 25 de maio de 1954, ao pisar sobre uma mina terrestre. Seu corpo foi encontrado com as pernas dilaceradas. A câmera permanecia entre suas mãos.

Agência Magnun

Agência Magnun