Arquivo para google

Pinturas Tridimensionais, O Fantástico Mundo de 3D Joe And Max

Posted in PINTURAS, VIDEOBLOG with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 21/11/2011 by Bronx1985

Recentemente incluído nos Guinness World Records como a mais larga e comprida pintura tridimensionais do mundo, o trabalho dos britânicos Joe e Max sob a alcunha do selo “3D Joe And Max” de fato chama a atenção não tão somente pelas grandiosas proporções, mas também pelo incrível detalhamento de representações expostas, difusões de cores tão vivas quanto bem aplicadas e interessante bom humor agregado as obras.

Com trabalhos executados que chegam a demorar mais de semanas para ficarem prontos, a dupla inglesa é referência mundial tratando-se de pintura anamórfica tridimensional, sendo os mesmos requisitados por galerias, demais envolvidos e amantes de artes por todo o mundo para exporem e divulgarem suas composições pintadas.

Sempre encorajando a interação das pessoas que se deparam com suas obras de modo a comporem os fantásticos cenários criados, era de se esperar que a lista de clientes de 3D Joe And Max fosse composta por clientes de peso e renome mundial, dentro os quais destaco aqui o Google, a M&C Saatchi, a BBC e até mesmo fundos de ordem humanitária como a fundação Save the Children.

Portfólio: 3djoeandmax.com

Portfólio: 3djoeandmax.com

VEJA TAMBÉM: O Projeto Caverna de Edgar Mueller

Love Is In The Air: A Arte em Vinil de Carlos Aire

Posted in ESCULTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 25/09/2010 by Adriana Almeida

O espanhol Carlos Aires que hoje divide seu tempo entre a Espanha e a Bélgica e é mais conhecido por seu trabalho como fotógrafo, resgata a mídia de um tempo, para alguns remoto, para outros, bem recente, e faz arte com os discos de vinil que foram aposentados pela era do CD.

O projeto foi batizado como “Love is in the air”, em uma referência a um disco de John Paul Young, de 1977, que foi hit, e hoje é quase um ícone da época. Os discos são milimetricamente cortados com laser sob a forma de silhuetas, o que já seria interessante por si só, dada a perfeição do corte e o aspecto divertido do resultado. Mas em adição, as formas escolhidas estão intimamente ligadas ao título ou conteúdo do disco usado como matéria prima, brincando com conceitos e idéias da época vistas sob o prisma dos dias atuais, de uma forma extremamente bem humorada e crítica. O disco “Touch Me”, por exemplo, se vê transformado em um homem musculoso, e assim sucessivamente.

Como um extra no interesse desse trabalho de Carlos, que é conhecido pelo seu gosto por uma polêmica, boa parte das silhuetas foram cortadas segundo um curioso critério: em uma busca no google com as palavras “Pornografia” e “Catástrofe”, ele selecionou fotografias aleatórias que iriam dar forma ao disco de vinil, relacionando-as com o título do álbum. Um complexo trabalho de associação, com uma mensagem subliminar pra lá de controversa.

Portfólio: carlosaires.com

Portfólio: carlosaires.com

Livros com Frete Grátis nas compras acima de R$ 39! - Submarino.com.br

A padaria de corpos de Kittiwat Unarrom

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 11/03/2010 by Bronx1985

Quando vi pela 1ª vez o trabalho do tailandês Kittiwat Unarrom, pensei tratar-se de alguma pegadinha ou brincadeira de mal gosto. Após algumas pesquisas, descobri nele uma verdadeira obra de mestre, tanto em inovadorismo quanto em criatividade.

Kittiwat Unarrom é um jovem padeiro tailandês que, através de uma minuciosa técnica de moldagem e uso de corantes comestíveis, transforma a massa de uma pão comum em uma fiel reprodução de uma parte de corpo humano, parte esta tão delicadamente e detalhadamente reproduzida que chega a assustar e provocar náuseas nos mais despercebidos que entram em sua padaria pensando ser aquele lugar um estabelecimento comum.

 Seus pães possuem as formas e tamanhos em escalas reais aos originais primeiramente feitos à imagem e semelhança, visto que Unarrom afirma nunca ter visto algum exemplo original para então iniciar sua cópia, e que seus pães saem unicamente de moldes criados na sua imaginação.

 Já vi muito tipo de arte, mas admito, algo como o trabalho desse rapaz é tão digno de contemplação quanto de experimentação, dado o fato das suas obras de arte serem comestíveis. E para quem ainda achar que isto é uma pegadinha ou brincadeira de mal gosto, como eu achei no começo, segue abaixo um vídeo comprovando os fatos!

 mais sobre a padaria em: google.com/kittiwatunarrom

  mais sobre a padaria em: google.com/kittiwatunarrom