Arquivo para figurativo

Sangue, Movimento e Vida, as Expressivas Pinturas de Simon Birch

Posted in PINTURAS, VIDEOBLOG with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 28/11/2011 by Bronx1985

Interessado em idéias universais de transição, no momento ambíguo entre uma iniciação e sua conclusão e na impossibilidade do presente e posterior futura concretização, o inglês Simon Birch, filho de romenos e hoje residente em Hong Kong, China, é destaque e parâmetro ao tratarmos de pintura figurativa contemporânea.

Compostas por marcantes cores tão sóbrias quanto sólidas, peculiar movimento de vida com dor e a conexão do homem com um mundo muitas vezes desconexo, nas pinturas de Birch o experimento e gosto pelo novo são tão marcantes quanto os sentimentos despertados através de uma contemplação mais sensível e aguda das mesmas. Expostas num contexto de pouco obviedade, suas obras tudo podem ser, menos mais do mesmo.

Com recorrentes exposições pela China, o trabalho do inglês é executado basicamente por óleo sobre tela, visto que seu talento reside justamente no interessante efeito “esfumaçado” alcançado, este que agrega valor e aguça a curiosidade das pessoas. Mais que palavras, as pinturas por si só norteiam nossas interpretações, ainda que tão relativas quanto às mesmas.

Portfólio: thebirchfoundation.com

Portfólio: thebirchfoundation.com

A Complexa Arte de Stephan Balleux

Posted in PINTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 21/12/2010 by Adriana Almeida

Cores, texturas, formas e dimensões. Experiências em 3D e mídias alternativas. Uma descrição pouco pensada ou uma olhada pouco atenta ao trabalho de Stephan Balleux, e poderíamos estar falando de um pintor abstrato ou um artista digital. Mas esse não é Stephan. Ele é o encontro entre o figurativo e o abstrato, o tradicional e o contemporâneo, o novo e o velho em um único indistinto pacote.

As cores se misturam em diferentes direções. Parece uma caótica dança do acaso que por pura gestalt calhou de parecer um retrato. Mas está tudo ali intencionalmente em movimento, revelando significados, derramando sensibilidade, envolvendo o clássico em outra roupagem. A mesma técnica, colocada lado a lado com uma imagem figurativa, dão ao suposto movimento caótico das tintas um aspecto quase místico, em uma experiência que nosso plano físico é quase incapaz de compreender, mas que absorve sentimentos e idéias. Stephan Balleux é complexo demais para ser descrito ou rotulado, sendo uma experiência sensorial que chega a cada um, e dependendo da peça em questão, de uma maneira diferente.

Portfólio: stephan-balleux.com

Portfólio: stephan-balleux.com

O Tradicional Revisitado de Tom French

Posted in PINTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 23/11/2010 by Adriana Almeida

O desenhista inglês Tom French, graduado com honras pelo Sheffield Institute of Art and Design, tem um trabalho que é essencialmente figurativo onde combina detalhes do foto-realismo com eventuais elementos abstratos e surrealistas.

O resultado são belíssimos desenhos, em especial de figuras femininas, que transitam entre a observação consciente e inconsciente, em imagens que possuem vida e movimento e carregam um forte apelo urbano e contemporâneo. E Tom não é propriamente inovador em sua técnica, que alias, é bastante tradicional: centrada no uso de carvão vegetal. Entretanto, o resultado final é revigorante e atual, além do apelo estético inegável.

Portfólio: flickr.com/le-vol & tomfrenchart.wordpress.com

Portfólio: flickr.com/le-vol & tomfrenchart.wordpress.com

As necessárias esculturas submarinas de Jason de Caires Taylor

Posted in ESCULTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 21/04/2010 by Bronx1985

Jason de Caires Taylor é conhecido no mundo inteiro por ser pioneiro na arte de repovoar o fundo do mar (criação de recifes artificiais) através da introdução  de esculturas de temáticas diversas. Filho de pais ingleses, Taylor graduou-se em 1998 pela de Camberwell College of Arts, University of Arts de Londres, com um BAHonours em Escultura e Cerâmica, além de também ser instrutor de mergulho, naturalista submarino e premiado fotógrafo subaquático com mais de 14 anos de experiência de mergulho em vários países.

Em maio de 2006, ele ganhou reconhecimento internacional pela criação do primeiro parque subaquático de esculturas em Granada, nas Antilhas. Suas esculturas submarinas são projetadas para servirem-se de recifes artificiais para a vida marinha habitar e colonizar.

As obras do inglês se envolvem com a visão das possibilidades de um futuro sustentável, retratando a intervenção humana como positiva e afirmativa. Com base na tradição de imagens figurativas, o objetivo do trabalho de Taylor é tratar com o público visitante a questão crucial da proteção ao meio ambiente subaquático através das fronteiras do mundo da arte. No entanto, fundamental para compreender sua obra é o fato de que ela encarna a esperança e otimismo da natureza regenerativa transformadora.

Portfólio: underwatersculpture.com

Portfólio: underwatersculpture.com