Arquivo para Brasília

Megadeath @ Credicard Hall – SP, 2010

Posted in VIDEOBLOG with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 25/04/2010 by Bronx1985

A apresentação do Megadeth em São Paulo neste sábado (24) não decepcionou quem esperava a exceução na íntegra do clássico Rust in Peace, de 1990, mas também contava com outros sucessos de uma das bandas pioneiras do thrash metal americano. O generoso setlist de 21 músicas, maior que os de Recife (20) e Brasília (22), eletrizou os fãs paulistas, que deixaram poucos espaços vazios no Credicard Hall.

A instrumental Dialectic Chaos, do mais recente álbum, Endgame, lançado em 2009, abriu o show, que começou com um pequeno atraso de um pouco mais de cinco minutos (estava previsto para as 22h), e o primeiro bloco de músicas da noite, que contou com This Day We Fight, In My Darkest Hour, Sweating Bullets, e o hit Skin O’My Teeth, cantado em coro pelo público.

Nesse momento, o vocalista e guitarrista Dave Mustaine fez uma parada para cumprimentar os fãs, agradecer a presença de todos e comentar que o fato de não haver banda de abertura em São Paulo possibilitou um setlist maior que o de outros shows no Brasil. Em seguida, o frontman emendou a frase “nós sabemos porque estamos aqui” e iniciou a execução de Rust in Peace.

Outro sucesso que fez a plateia pular e cantar junto foi Symphony of Destruction, de Countdown to Extinction (1992), em que o público encaixava a palavra Megadeth nos trechos de guitarra que intercalam a parte falada da música. Com um “Thank you very much” de Mustaine, o show foi supostamente encerrado.

Cinco minutos depois, às 23h42, o vocalista volta, sem camisa, para o bis e começa a conversar com a plateia, introduzindo outro hit, A Tout Le Monde, gravado originalmente em Youthanasia (1994) e reeditado em United Abominations (2007), com a participação da vocalista italiana Cristina Scabbia (Lacuna Coil). A música foi a mais cantada pelo público do começo ao fim.

Para encerrar a noite de duas horas de heavy metal, pouco após a meia-noite, a banda executou Peace Sells, clássico encontrado em Peace Sells…But Who’s Buying? (1986), e pedido em massa durante o intervalo para o bis.

Site oficial: megadeth.com

Resenha original: terra.com.br/musica

Site oficial: megadeth.com

Resenha original: terra.com.br/musica

Livros - Submarino.com.br

Guns N’ Roses @ Parque Antártica – SP, 2010

Posted in VIDEOBLOG with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 14/03/2010 by Bronx1985

Foi diante de um Palestra Itália lotado –eu e mais 38 mil pessoas no total, segundo a organização do evento– que o Guns N’ Roses começou, por volta das 0h45 deste domingo (14) em São Paulo, o terceiro show da turnê de “Chinese Democracy” no Brasil, que já passou por Brasília e Belo Horizonte. 

Antes disso, porém, as bandas paulistanas Rock Rocket e Forgotten Boys aqueceram os ânimos da volumosa plateia para a entrada de Sebastian Bach, convidado de Axl Rose para abrir os cinco shows do Guns no país. O músico subiu ao palco às 21h45 e, ao lado de sua banda de apoio, fez uma apresentação muito decente. Empolgado, Bach mostrou o ânimo dos tempos de Skid Row e, durante 1h30, apresentou hits de sua antiga banda, além de algumas canções de “Angel Down”, seu novo álbum solo.  

Assim como foi em Brasília e Belo Horizonte, o grupo optou por tirar algumas canções recentes e apostar nos antigos sucessos. Acerto mais garantido. Dividas em alguns blocos específicos com solos de cada instrumentista, esses intervalos serviam para Axl deixar o palco, ganhar um fôlego e trocar de figurino. O vocalista fez oito trocas de roupa durante a apresentação de duas horas e meia.  

Com uma plateia tomada por bandanas vermelhas, não faltaram solos de guitarras imaginárias na pista. Estes sim sentiram falta de Slash, representado neste novo Guns por três guitarristas que se revezam nos seus característicos solos, mas que deixam no ar um clima de banda cover.  

 Ainda assim, é inegável a força de canções como “Sweet Child O’ Mine”, “November Rain” e “Patience” –os melhores momentos da apresentação ao lado das covers “Live And Let Die” e “Knockin’ On Heaven’s Door”–, principalmente quando executadas junto das faixas mais arrastadas de “Chinese Democracy”, o trabalho mais recente de Axl com a banda. Além disso, outro ponto forte do show, para quem estava nas arquibancadas e nas cadeiras numeradas, era o balanço da estrutura do Parque Antártica, que os fãs proporcionavam com seus frenéticos pulos em referência aos solos de guitarra e refrões dos maiores hits do Guns, trazendo uma agradável surpresa aos já admirados fãs. A eufórica apresentação terminou por volta das 3h20 com o hit “Paradise City” e uma chuva de serpentina e papel picado.    

Site Oficial: gunsnroses.com 

Fã Clube no Brasil: myspace.com/faclubegnroficial  

  

  

Site Oficial: gunsnroses.com 

Fã Clube no Brasil: myspace.com/faclubegnroficial