Arquivo para Belo Horizonte

Contemporaneidade e Diversidade na arte de Rivane Neuenschwander

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 23/06/2010 by Bronx1985

Diferenciada em estilo, representativa em expressão e de cores meticulosamente, ora translúcidas, ora opacas, as obras da brasileira Rivane Neuenschwander, mineira, têm muito o que nos mostrar. A brasileira esta com exposição marcada para esta semana no New Museum, dedicado à arte contemporânea, em Nova York, é matéria no NY Times, tida pelos críticos como uma artista que veio para ficar.

Rivane Neuenschwander já expôs em importantes museus e galerias nacionais e internacionais. Destacam-se suas individuais no Palays de Tokyo, em Paris (2003), Museu de Arte da Pampulha (2002) e Portikus em Frankfurt (2001). Já participou por duas vezes da Bienal internacional de Veneza (2003 e 2004), da Bienal de São Paulo (1998) e da Bienal de santa Fé (Estados Unidos, 1999).

Suas obras (instalações) misturam-se numa gostosa harmonia entre o possível, imaginário, relativo e pretensioso, pela direita fusão de cores aguça os sentidos visuais. Mais dispostos são cabíveis de perceber em suas obras intenções indiretas disfarçadas de mensagens subliminares e tons folclóricos, tudo em sintonia com o tão inusitado quanto natural sentido de se contemplar suas artes. Mais que palavras, a arte de Rivane Neuenschwander destaca-se no contexto em que o contemporâneo encontra-se com a diversidade.

Portfólio: art.net/rivane-neuenschwander

Portfólio: art.net/rivane-neuenschwander

Livros com Frete Grátis nas compras acima de R$ 39! - Submarino.com.br

Manowar @ Credicard Hall, SP – 2010

Posted in VIDEOBLOG with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 10/05/2010 by Bronx1985

Além da tradicional maré de camisetas pretas que invadiu o Credicard Hall, em São Paulo, nesta sexta-feira (7/05), a noite regada de metal do Manowar ganhou alguns extras para empolgar o público, cerca de 6,3 mil. Fora os intermináveis banhos de cerveja, air guitars e chicoteadas com os cabelos dos headbangers, o grupo ainda levou ao palco um grupo de quatro garotas que se despiram para o deleite dos fãs e um sortudo que tocou guitarra junto com a banda.

Abrindo com Hand of Doom, o quarteto não fez cerimônia e já atacou com uma sequência de canções pesadas: Call To Arms e Die With Honor. Em um intervalo mais “místico”, Swords In The Wind fez uma pausa para todos os metaleiros erguerem seus celuares e cantarem em uníssono com Eric Adams.

a banda seguiu apostando em suas canções metaleiras, mas sempre priorizando canções da atual turnê, baseada nos discos God of War, de 2007, e no EP Thunder In The Sky, de 2009. A ausência de alguns clássicos como Battle Hymn, Blow Your Speakers e Carry On deixou nitidamente alguns fãs fervorosos exaltados que deixaram o show mais cedo. Mas nada que atrapalhasse o show.

De Gods of War, o grupo tocou canções como King of Kings, Loki God of Fire e Sons of Odin. A escolha por priorizar músicas novas causou até uma movimentação em redes sociais e blogs na internet. Muitos fãs criticaram a opção do Manowar e chegaram a desencorajar os seguidores que planejam conferir os shows do Rio de Janeiro (8/05) e Belo Horizonte (9/05). Cada um na sua.

Site Oficial: manowar.com

Resenha origianl: terra.com.br/musica

Site Oficial: manowar.com

Resenha origianl: terra.com.br/musica

Livros - Submarino.com.br

Placebo @ Credicard Hall – SP, 2010

Posted in VIDEOBLOG with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 18/04/2010 by Bronx1985

Depois de passar por Porto Alegre, Curitiba e Belo Horizonte, o Placebo tocou na noite desse sábado (17/04/2010) no Credicard Hall, em São Paulo, em parte de sua atual turnê, baseada no disco Battle for the Sun. De acordo com assessoria da produtora do show, cerca de 4 mil pessoas acompanharam a apresentação.

Liderada pelo vocalista Brian Molko, o trio ainda conta com o baixista Stefan Olsdal e o baterista Steve Forrest, que substituiu Steve Hewitte deu um novo fôlego ao grupo.

Além das canções de seu disco mais recente, o Placebo montou seu repertório passeando por toda sua carreira incluindo o hit Every You Every Me, umas das canções mais famosas da banda.

A turnê do trio segue pela América do Sul com apresentações no Peru (20) e Colômbia. Depois te um intervalo na sequência de shows, o Placebo retorna aos palcos no dia 5 de junho, em Israel, e parte para mais um braço da turnê passando pela Sérvia, Portugal, Espanha, Itália, Reino Unido, Dinamarca, Alemanha, Suíça, França e Bélgica.

Resenha original: terra.com.br/musica

Site oficial: placeboworld.co.uk

Resenha original: terra.com.br/musica

Site oficial: placeboworld.co.uk

Guns N’ Roses @ Parque Antártica – SP, 2010

Posted in VIDEOBLOG with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 14/03/2010 by Bronx1985

Foi diante de um Palestra Itália lotado –eu e mais 38 mil pessoas no total, segundo a organização do evento– que o Guns N’ Roses começou, por volta das 0h45 deste domingo (14) em São Paulo, o terceiro show da turnê de “Chinese Democracy” no Brasil, que já passou por Brasília e Belo Horizonte. 

Antes disso, porém, as bandas paulistanas Rock Rocket e Forgotten Boys aqueceram os ânimos da volumosa plateia para a entrada de Sebastian Bach, convidado de Axl Rose para abrir os cinco shows do Guns no país. O músico subiu ao palco às 21h45 e, ao lado de sua banda de apoio, fez uma apresentação muito decente. Empolgado, Bach mostrou o ânimo dos tempos de Skid Row e, durante 1h30, apresentou hits de sua antiga banda, além de algumas canções de “Angel Down”, seu novo álbum solo.  

Assim como foi em Brasília e Belo Horizonte, o grupo optou por tirar algumas canções recentes e apostar nos antigos sucessos. Acerto mais garantido. Dividas em alguns blocos específicos com solos de cada instrumentista, esses intervalos serviam para Axl deixar o palco, ganhar um fôlego e trocar de figurino. O vocalista fez oito trocas de roupa durante a apresentação de duas horas e meia.  

Com uma plateia tomada por bandanas vermelhas, não faltaram solos de guitarras imaginárias na pista. Estes sim sentiram falta de Slash, representado neste novo Guns por três guitarristas que se revezam nos seus característicos solos, mas que deixam no ar um clima de banda cover.  

 Ainda assim, é inegável a força de canções como “Sweet Child O’ Mine”, “November Rain” e “Patience” –os melhores momentos da apresentação ao lado das covers “Live And Let Die” e “Knockin’ On Heaven’s Door”–, principalmente quando executadas junto das faixas mais arrastadas de “Chinese Democracy”, o trabalho mais recente de Axl com a banda. Além disso, outro ponto forte do show, para quem estava nas arquibancadas e nas cadeiras numeradas, era o balanço da estrutura do Parque Antártica, que os fãs proporcionavam com seus frenéticos pulos em referência aos solos de guitarra e refrões dos maiores hits do Guns, trazendo uma agradável surpresa aos já admirados fãs. A eufórica apresentação terminou por volta das 3h20 com o hit “Paradise City” e uma chuva de serpentina e papel picado.    

Site Oficial: gunsnroses.com 

Fã Clube no Brasil: myspace.com/faclubegnroficial  

  

  

Site Oficial: gunsnroses.com 

Fã Clube no Brasil: myspace.com/faclubegnroficial