Arquivo para África do Sul.

Nosso Planeta que Inspira, as Incríveis Fotografias de Hougaard Malan

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 08/10/2012 by Bronx1985

Sul africano do Free State, o fotógrafo Hougaard Mallan possui como quintal de casa talvez as mais belas paisagens naturais encontradas em nosso planeta, ainda que a pobreza humana assole seu continente de origem, a África, em contra partida o mesmo é rico em paisagens e situações naturais que cativam até aos menos sensíveis se fotografadas com o talento e a dedicação de Hougaard Mallan.

Interessado no menos óbvio e sempre em busca das mais intensas cores, inusitados ângulos de captura das suas imagens, em momentos em que os elementos da natureza se combinam como se fossem pintado por um deus, para criar cenas tão representativas que se tem que ter o tempo para estar de volta em reverência e se maravilhar com a beleza do mundo em que vivemos.

Sua intenção é remover o espectador a partir de sua localização atual e transportá-lo para o local de captura da imagem, para que possa sentir o vento e ver a luz dourada do Sol poente em sua pele. Esse é o propósito de uma foto de paisagem, experimentar a beleza de um lugar sem estar lá e, de fato, o sul africano consegue o que se propõe a fazer, visto que mais que muitas palavras em que eu aqui me utilize para explicar o sentido das imagens do cara, uma sincera e inspirada observação do trabalho do mesmo acaba por dizer o que talvez eu nunca soubesse dizer.

Portfólio: hougaardmalan.com

Portfólio: hougaardmalan.com

Nelson Mandela, o Lutador pela Liberdade, Instalação de Marco Cianfanelli

Posted in ESCULTURAS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 20/09/2012 by Bronx1985

Interessado na Arte que rompe paradigmas e que orienta o sentido de complexidade do presente, o artista plástico sul africano de Johannesburg, Marco Cianfanelli ,de fato concretiza suas intenções, visto que o mesmo apresenta-nos (aqui no blog em destaque) sua incrível instalação/escultura em homenagem a um dos maiores ícones da cultura do continente africano e sua luta pela liberdade de seu povo, o icônico Nelson Mandela.

Com quase 10 metros de altura, 5 metros de largura e mais de 20 metros de extensão se somadas as placas utilizadas, a instalação Nelson Mandela de Marco Cianfanelli reproduz de modo tão fiel quanto contemporâneo a silhueta facial do herói citado, de modo que para todo o tempo o mesmo seja lembrado pelos seus feitos e que desta forma todos os habitantes do continente africano percebem a importância de lutarem por seus ideias, ainda mais quando estes forem destinados a um bem maior que visa o bem social de muitos outros espalhados por aí.

Envolvendo o mundo em termos de sistemas em vez de objetos discretos, fato é que a instalação de Cianfanelli rompe as barreiras do óbvio e ordinário e talvez represente sim de modo fiel a importância de Nelson Mandela para a África, visto que suas interessantes dimensões fazem jus ao tamanho da obra concretizada ao mártir negro sul africano.

Portfólio: marcocianfanelli.com

Portfólio: marcocianfanelli.com

Tangendo os Limites da Tipografia, por Jedd Luke McNeilage

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 02/08/2011 by Bronx1985

Sobre intitulação original “Handjobs in South Africa – Tangible typography”, as foto montagens do designer sul africano Jedd Luke McNeilage são um interessante prospecto de bom humor com uma mensagem diversa agregada.

Através de interessante e bem desenvolvida técnica de montagem e disposição de objetos em posições chave e posterior mínima edição digital das imagens, o sul africano recria situações onde a tipografia se apresenta como objeto de destaque, isto de modo a complementar todo a essência criada pela paisagem onde a fotografia então é capturada.

Com um portfólio de diferentes vertentes representativas em design, McNeilage é enfático ao dizer que seu projeto tipográfico aqui em destaque nada mais é do que uma demonstração da importância que as palavras e comunicação como um todo exercem sobre nós e nossas rotinas, além, é claro, da importância das mesmas para nossas relações sociais.

Portfólio: behance.net/jeddluke

Portfólio: behance.net/jeddluke

A Vida, A Morte e As Fotografias de Kevin Carter

Posted in FOTO ENSAIOS with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 11/05/2011 by Bronx1985

Kevin Carter, nascido em 13 de setembro de 1960, foi um premiado fotógrafo jornalístico da África do Sul, muito famoso por suas imagens fortes sempre de cunho jornalístico que retratavam em sua maioria as questões sócias do seu continente natal, assim como a desigualdade social, a má distribuição de renda, o preconceito e a séria questão da fome na África.

Sua foto mais conhecida e que chocou o mundo quando revelada em 1993, trata-se de uma imagem de uma menina nos adentros do continente africano que havia parado para descansar ao esforçar-se para chegar a um centro de alimentação, onde um abutre tinha aterrado próximo. Ele disse que esperou aproximadamente 20 minutos, esperando que o abutre abrisse suas asas. Não o fez. Carter tirou a fotografia e perseguiu o abutre para afastá-lo. Entretanto foi criticado por somente estar fotografando e não ajudando a pequena menina.
Em 2 de abril de 1994 Nancy Buirski, um editor estrangeiro de fotografias do New York Times, telefonou para Carter para informar que ele tinha ganho o mais cobiçado prêmio de fotografia. Carter foi condecorado com o Prêmio Pulitzer por Recurso Fotográfico em 23 de maio de 1994 na Universidade de Colúmbia em Nova Iorque.

Em 27 de julho de 1994 levou seu carro até um local da sua infância e suicidou-se utilizando uma mangueira para levar a fumaça do escape para dentro de seu carro. Ele morreu envenenado por monóxido de carbono aos 33 anos de idade, deixando do nos um portfólio não tão extenso quem questões de quantidade de fotografia, porém algumas tão notáveis quanto reflexivas até hoje para a humanidade como um todo.

Partes da nota de suicídio de Carter diziam:
“_Estou deprimido… Sem telefone… Sem dinheiro para o aluguel.. Sem dinheiro para ajudar as crianças… Sem dinheiro para as dívidas… Dinheiro!!!… Sou perseguido pela viva lembrança de assassinatos, cadáveres, raiva e dor… Pelas crianças feridas ou famintas… Pelos homens malucos com o dedo no gatilho, muitas vezes policiais, carrascos… Se eu tiver sorte, vou me juntar ao Ken…”

NOFX @ Santana Hall – SP, 2010

Posted in VIDEOBLOG with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 05/03/2010 by Bronx1985

Mais de 5 mil pessoas (incluindo eu) se reuniram na noite do dia 04 de março para juntos celebrarem o show daquela que é considerada um dos exponentes máximos do punk/rock. Formada em 1983, em Berkeley, na Califórnia, a banda NOFX é uma das últimas remanescentes e legítima representante do punk. O movimento, surgido na década de 70 com a banda norte-americana Ramones e as inglesas Sex Pistols e The Clash, que englobava toda uma forma de se vestir, atitudes, rebeldia contra o sistema e música marcada por bicordes tão repetitivos quanto desenfreados.

Os shows no Brasil (passaram antes por Curitiba e Porto Alegre) fazem parte da turnê internacional da banda para promover o álbum Coaster, lançado no ano passado. Eles também estão divulgando o novo DVD duplo NOFX Backstage Passport, com cenas inéditas do grupo em seus shows pelo mundo, inclusive pelo Brasil, Argentina, Peru, Chile, Japão, China e África do Sul.

A banda abriu de cara com a música que levou o quarteto à fama entre os roqueiros americanos, Linoleum.  Daí em diante foi um festival de músicas, Seeing Double at The Triple Rock, The Brews, We Called It America, Fuck The Kids e It’s My Job To Keep Punk Rock Elite, não exatamente nessa ordem, toda cantaroladas e agitadas pela platéia que ali freneticamente se debatia entre os presentes. Do meio das rodas era possível escutar os gritos de felicidade a cada acorde de Reeko, Drugs Are Good, Eat The Meek, Punch Her In The Cunt, Bob e Live It Alone. Outro bom momento foi o animadíssimo cover de Radio, clássico do Rancid que a banda gravou no famoso split BYO Split Series, Vol. 3, onde a banda de Tim Armstrong toca covers do NOFX e a banda de Fat Mike retribuiu a gentileza.

Em certo momento do show, ao ser atingido no rosto por um objeto, que depois foi contato ser um chinelo tipo “havaianas”, Fat Mike disse: “Ei, não joguem chinelos em mim… Mas espere aí… Quem diabos vem de chinelos em um show punk?”, perguntava inconformado o líder da banda.

Do início ao fim, o show foi marcado pela presença dos maiores hits da banda, que com fôlego de garotos de 18 anos, não davam trégua a agitada platéia, emendando música após música até ao término do espetáculo, marcado por uma imensa e interminável salva de palmas à banda, que fora retribuída com calorosos obrigados e a promessa de voltarem o quanto antes às terras paulistanas, lugar este que pela sua terceira vez teve a oportunidade de receber os caras da banda.

Com um sentimento de quero mais, deixo aqui minhas palavras: Voltem Sempre!!

Site Oficial: nofxofficialwebsite.com Fã Clube: facebook.com/nofx

Vídeo do show em São Paulo.

Vídeo do show em Porto Alegre

Site Oficial: nofxofficialwebsite.com Fã Clube: facebook.com/nofx